ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Mapa 3D de estrelas da Via Láctea revelado por cientistas portugueses
Revista PORT.COM • 28-Abr-2018
Mapa 3D de estrelas da Via Láctea revelado por cientistas portugueses



A equipa de cientistas portugueses envolvidos na Missão Gaia da Agência Espacial Europeia, disponibilizou, esta semana, o segundo pacote de dados recolhidos pelo satélite lançado no espaço em 2013, com o objetivo de mapear e perceber a posição exata de cerca 1700 milhões de estrelas da galáxia.

O satélite Gaia tem estado a recolher informações sobre as estrelas desde Julho de 2014. O principal objetivo da missão é a elaboração de um mapa mais rigoroso, para poder responder, por exemplo, a questões sobre origem e evolução do Universo que surgiu há milhões de anos pela teoria do Big Bang.

Desde o inicio do projeto que a equipa portuguesa composta por oito elementos e liderada por André Motinho de Almeida, professor do Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, tem estado a ajudar em todas as medições que chegam do espaço. Através de uma ‘startup’ têm conseguido ganhar contratos industriais na ESA, que permitem sustentar o envolvimento na missão, cada vez mais reconhecido lá fora mas sem o apoio nacional.

A primeira divulgação de dados do Gaia surgiu em 2016, no entanto, o novo catálogo, segundo a ESA em comunicado, eleva o censo sobre a Via Láctea para um novo patamar. 

O novo mapa tem a posição exata e o brilho de quase 1700 milhões de estrelas. E, entre elas, contém ainda a distância em relação a nós de cerca de 1300 milhões de estrelas, bem como o seu movimento aparente no céu, que se deve ao facto de se deslocarem em torno do centro da galáxia.

A importância de um catálogo com este tipo de informações está na capacidade de permitir construir mapas tridimensionais com bastante exatidão e precisão da distribuição das estrelas.

«É o primeiro mapa 3D em grande escala para a nossa galáxia, baseado em medidas diretas das posições das estrelas em relação a nós», salienta André Moitinho de Almeida, coordenador do grupo português na missão do Gaia, um consórcio internacional que envolveu 400 elementos.

O cientista português acrescenta que o satélite vai também ajudar a estimar o numero de estrelas na Via Láctea, o que por sua vez permitirá calcular a quantidade de matéria existente na galáxia.

O contributo do grupo português para a missão do Gaia centra-se essencialmente na criação de sistemas de pesquisa e de visualização dos dados. «O esforço está quase todo no desenvolvimento de sistemas para a visualização e exploração visual interativa da enorme quantidade de dados produzidos pela missão. Assim, um dos aspetos incide na investigação e desenvolvimento de formas de tornar acessível, do ponto de vista percetual, essa quantidade de informação avassaladora. Por outras palavras: tentamos tornar o inimaginável inteligível», nota o astrofísico português.

As imagens dão a sensação de serem fotografias, mas na realidade são representações geradas a partir de tabelas cheias de dados. Quando o primeiro catálogo do Gaia foi tornado público em 2016, a equipa portuguesa gerou imagens que se tornaram “o ícone da missão”.

 

A equipa espera que a missão do satélite Gaia seja prolongada até 2022, para se fazerem mais medições da posição e dos movimentos das estrelas.

 


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
ENTREVISTA
Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P.
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ