ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Cientista do Porto distinguido pela Academia Russa de Ciências
Revista PORT.COM • 28-Mai-2018
Cientista do Porto distinguido pela Academia Russa de Ciências



O cientista do Porto Frederico Francisco será o primeiro português a receber a Medalha Zeldovich, uma distinção da Academia Russa de Ciências entregue a investigadores da área da física, pelo trabalho sobre anomalias de trajetória de sondas interplanetárias.

A Medalha Zeldovich, atribuída de dois em dois anos pela Academia Russa de Ciências e pela Commission for Space Research (COSPAR), foi criada em 1990 em memória do astrofísico russo Yakov B. Zeldovich, e será entregue a Frederico Francisco durante a 42.ª Assembleia Científica da COSPAR, de 14 a 22 de julho, na Califórnia (Estados Unidos).

Esta distinção deve-se aos trabalhos que o investigador do Centro de Física do Porto (CFP) do Departamento de Física e Astronomia da Faculdade de Ciências da Universidade (FCUP) vem desenvolvendo desde o doutoramento e a cuja tese - premiada em 2015 pela editora alemã Springer Verlag - dedicou ao tema "Anomalias de Trajetória em Sondas Interplanetárias".

«A determinação rigorosa das trajetórias de sondas que se deslocam para as regiões exteriores do sistema solar - para lá da cintura de asteróides que existem entre as órbitas de Marte e Júpiter - é uma das formas que existem para testar experimentalmente a Teoria da Relatividade Geral (RG), de Einstein», disse à agência Lusa o cientista de 31 anos, doutorado em Física pelo Instituto Superior Técnico (IST), de Lisboa.

Segundo indicou, apesar de a teoria de Einstein ter sido confirmada em todas as experiências realizadas até hoje, muitos físicos defendem que esta «não deve ser a teoria mais fundamental para a gravidade", podendo existir "uma teoria quântica que unifique as quatro forças fundamentais, já que a gravidade explicada pela RG não é compatível com a mecânica quântica».

«Quando falamos de anomalias de trajetória, estamos a falar de possíveis contradições à teoria gravitacional de Einstein», esclareceu, referindo que o caso mais conhecido dos últimos 20 anos foi a "anomalia das Pioneer", um desvio de trajetória detetado nas sondas Pioneer 10 e 11.

"A conquista deste prémio, além da satisfação pelo reconhecimento do meu trabalho, dá um importante alento para continuar a vencer os obstáculos que existem na atividade científica em Portugal", indicou.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ