ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Investigadores de Coimbra criam tecnologia para avaliar funcionamento do coração
Revista PORT.COM • 09-Abr-2019
Investigadores de Coimbra criam tecnologia para avaliar funcionamento do coração



Investigadores da Universidade de Coimbra desenvolveram uma tecnologia «baseada no bater do coração», de «baixo custo e não invasiva», que permite caracterizar e avaliar, em casa, o funcionamento deste órgão.

O grupo de investigadores, liderado por Paulo de Carvalho, especialista em informática clínica, desenvolveu, com a colaboração de três médicos, «uma tecnologia de baixo custo e não invasiva, em que o som cardíaco é a chave de acesso a um conjunto de informação necessária para caracterizar e avaliar o funcionamento do coração», refere a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

A partir do som do batimento cardíaco, «obtido com recurso a pequenos sensores, desenvolveu-se um algoritmo [software] que permite extrair automaticamente os denominados tempos sistólicos do coração e estimar o débito cardíaco», explica, citado pela FCTUC, Paulo de Carvalho.

A grande vantagem desta tecnologia é permitir «o seguimento permanente de vários tipos de patologias cardiovasculares, em particular a insuficiência cardíaca, em ambulatório», sublinha Paulo de Carvalho.

«Não estamos a inventar informação nova, já que a auscultação sempre foi e continua a ser uma fonte de informação extremamente relevante no diagnóstico e prognóstico médico, sobretudo em cardiologia, apenas encontrámos uma nova solução para fornecer ao clínico informação que ele já percebe», salienta o investigador.

Ou seja, «descobriu-se uma forma de obter em casa informação que até agora só era possível adquirir no hospital».

Trata-se de «uma ferramenta valiosa para o prognóstico e diagnóstico, de simples utilização», assegura ainda o investigador e docente do Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra.

Por isso, conclui a FCTUC, «está-se perante uma tecnologia que pode fazer a diferença na gestão das doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte em todo o mundo».

A solução - que «está pronta a entrar no mercado, assim a indústria a pretenda implementar» - foi desenvolvida no âmbito do projeto SoundForLife, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e testada em doentes internados no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e em pessoas saudáveis (grupo de controlo).


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ