ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Equipa da Universidade de Coimbra identifica processo chave na clonagem de plantas
Revista PORT.COM • 07-Mai-2019
Equipa da Universidade de Coimbra identifica processo chave na clonagem de plantas



A clonagem de plantas através de embriogénese somática - ferramenta para a rápida clonagem de espécies - apresenta-se como uma técnica muito promissora mas a sua aplicação em larga escala ainda não é possível em muitas espécies com interesse económico e florestal, sobretudo em plantas lenhosas (árvores e arbustos).

Um estudo liderado pelo Laboratório de Biotecnologia do Centro de Ecologia Funcional do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), e publicado na revista científica Frontiers in Plant Science, deu mais um passo na complexa tarefa de perceber o que acontece no processo de clonagem in vitro por embriogénese somática (capacidade que de obtenção de plantas a partir de embriões que não têm origem na reprodução sexuada, mas sim em células do corpo), de forma a permitir a exploração comercial da técnica.

Usando como modelo o tamarilho, uma espécie arbórea da família do tomateiro e da batateira, com elevada capacidade de regeneração e interesse comercial, os investigadores descobriram que uma proteína, designada NEP-TC, assume um papel fundamental neste método de clonagem ao regular alterações do RNA, material genético que medeia a síntese proteica, influenciando assim as taxas de propagação.

A informação agora obtida, após um longo estudo que se iniciou há vários anos sob coordenação do professor Jorge Canhoto, representa «uma importante peça do intricado puzzle que controla a clonagem de plantas. Identificámos um dos caminhos de um imenso labirinto de vias e interações que ocorrem neste sistema de propagação», afirma Sandra Correia, investigadora do projeto.

A seguir, refere a investigadora, «é necessário estudar e compreender a funcionalidade desta proteína em diferentes estádios de desenvolvimento da planta e em diferentes etapas do processo de clonagem, bem como analisar e validar a sua funcionalidade quando interage com outras proteínas envolvidas na mesma via de regulação».

Só depois de decifrar todos os percursos desta difícil encruzilhada, «conhecendo todos os modeladores que interferem neste processo de clonagem, se poderá caminhar para soluções que permitam ultrapassar as dificuldades de clonagem noutras espécies arbóreas», observa a investigadora da FCTUC.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
InPortugal 2020 Paris quer desenvolver nova rede de embaixadores
Ricardo Simões
Diretor do InPortugal
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ