ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Alunos da UBI ajudam comunidade guineense de Cumura a aceder à internet
Revista PORT.COM • 12-Ago-2019
Alunos da UBI ajudam comunidade guineense de Cumura a aceder à internet



Alunos da Universidade da Beira Interior (UBI, Covilhã) estão a ajudar a comunidade de Cumura, nordeste da Guiné-Bissau, no acesso à internet, através da formação de cerca de 50 professores da escola local, que é apoiada pela Igreja Católica.

Paulo Silva e Igor Matias, alunos de Engenharia Informática da UBI, Covilhã (região Centro de Portugal), estão na Guiné-Bissau para, no período de três semanas, ministrar princípios básicos de informática aos professores da escola, frequentada por mais de mil alunos da comunidade de Cumura, tornando-se no único local na vila com o acesso à internet.

Os ganhos que o acesso à internet poderá trazer à população de Cumura ainda estão para ser percebidos, mas para já a escola local passa a ter os registos e pautas dos alunos informatizados, os professores poderão ter formação no uso e manutenção de equipamentos informáticos e ainda a ligação da comunidade ao exterior será facilitada, referiu Paulo Silva.

Os dois portugueses, que já vão na quarta visita à Guiné-Bissau, fazem parte do projeto "Querer e Fazer", iniciado em 1981 na Universidade Nova de Lisboa, tendo depois passado para a coordenação da UBI e estando desde 2016 a desenvolver várias iniciativas com a Igreja Católica de Cumura.

Regularmente, no âmbito do projeto, alunos da UBI deslocam-se à Cumura para apoiarem o hospital e a escola local, ao mesmo tempo que jovens guineenses são formados naquela universidade portuguesa em diversas áreas.

Um dos princípios básicos do "Querer e Fazer" é permitir que jovens licenciados e profissionais consigam ter contacto com uma realidade diferente da europeia, interligando as suas áreas de formação (Medicina, Farmacêutica, Informática e Ensino) ao desenvolvimento dos países onde atua o projeto, assinalou Igor Matias.

O projeto já esteve em Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe e agora está na Guiné-Bissau, concretamente junto da comunidade de Cumura.

Os dois informáticos afirmam adorar a Guiné-Bissau, mas garantem que daqui para a frente a ideia é passar aos técnicos guineenses as competências para desenvolver a rede de internet em Cumura, ainda que prossigam prestar apoio à distância, em casos de dúvidas e necessidades.

Os professores formados vão agora ensinar aos alunos da escola as competências adquiridas com os dois técnicos portugueses.

Tirando alguma lentidão na conexão da internet, que é acedida através do sinal de rádio de uma operadora privada, Paulo e Igor sentem-se em casa em Cumura, onde têm amigos e até já 'arranham' algumas palavras em crioulo guineense.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ