ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Instituições brasileiras distinguidas com Prémio Champalimaud
Revista PORT.COM • 05-Set-2019
Instituições brasileiras distinguidas com Prémio Champalimaud



Três instituições brasileiras que dão óculos a quem vê mal ou fazem cirurgias complexas a doentes com poucas posses foram distinguidas este ano com o Prémio Champalimaud de Visão, no valor de um milhão de euros.

O prémio, apresentado como o maior do mundo no campo da visão, foi distribuído pela Fundação Champalimaud, que o promove, ao Instituto da Visão - IPEPO, à Fundação Altino Ventura e ao Serviço de Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas.

Em 2019, por ser ano ímpar, o prémio reconhece o trabalho feito no terreno por instituições na prevenção e no combate à cegueira e a doenças oftalmológicas em países em vias de desenvolvimento. Em anos pares, o galardão distingue a investigação científica na área da visão.

Para o presidente do Instituto Visão - IPEPO, Rubens BelfortJr., o prémio significa «uma grande responsabilidade» para continuar a «investir adequadamente» na prevenção da cegueira e nos cuidados médicos oftalmológicos das «populações mais pobres».

Na região da Amazónia, equipas do IPEPO fazem nas escolas o rastreio de alterações na visão das crianças, como a miopia, e distribuem gratuitamente óculos a quem vê mal, crianças e adultos.

«É um exemplo de uma coisa simples e barata, mas extremamente necessária para mudar a vida das pessoas», afirmou à agência Lusa Rubens Belfort Jr., assinalando que a «causa principal» da falta de visão e cegueira na Amazónia «é a falta de óculos».

Os médicos do instituto, que tem a sede em São Paulo, trabalham próximo das populações, mas também fazem diagnósticos através da telemedicina, selecionando doentes para cirurgias de tratamento de cataratas, glaucoma e retinopatia diabética, que podem levar à cegueira.

A Fundação Altino Ventura, criada em 1986 e que agrega quatro gerações de oftalmologistas de duas famílias brasileiras, presta assistência a doentes com fracos recursos através das suas unidades clínicas e cirúrgicas móveis no estado de Pernambuco.

Para o presidente e cofundador da fundação, Marcelo Carvalho Ventura, o Prémio Champalimaud de Visão permitirá ampliar a intervenção da "Menina dos Olhos", o Centro Especializado em Reabilitação, com equipamentos de hidroterapia.

Segundo Marcelo Carvalho Ventura, muitos doentes com patologias oculares «têm muitos problemas motores e sensoriais» e a «água ajuda na recuperação».

Os doentes que são acompanhados pela fundação fazem não só a sua reabilitação visual, mas, quando necessário, também motora e física, sublinhou o médico, em declarações à agência Lusa.

Às pessoas que precisam de óculos para ver, mas que não têm dinheiro para os comprar, o Serviço de Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, no estado de São Paulo, igualmente distinguido com o Prémio Champalimaud de Visão, cede-lhes os óculos gratuitamente.

No caso de pessoas com cataratas, mas que têm dificuldade em ir ao hospital, são os médicos que vão ter com elas para dar a devida assistência.

O oftalmologista Carlos Arieta, do Serviço de Oftalmologia do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, adiantou que «as pessoas que precisam de cirurgia ficam com a cirurgia agendada» e as que necessitam de «tratamento imediato» recebem esse tratamento.

Em paralelo com este trabalho, o chamado «zona livre de cataratas», a universidade, que dispõe de vários hospitais associados à Faculdade de Ciências Médicas, tem equipas médicas a fazerem o rastreio de doenças oculares ou perturbações na visão em crianças com 6 e 7 anos.

As equipas de especialistas realizam também «cirurgias complexas e delicadas», por exemplo a doentes com glaucoma ou que necessitam de um transplante de córnea. Tudo a custo zero para os doentes.

A ideia, de acordo com Carlos Arieta, «é eliminar as barreiras no acesso à saúde ocular». O dinheiro do Prémio Champalimaud de Visão será aplicado na elaboração do projeto de arquitetura de um novo edifício para atender mais pessoas.

O Prémio Champalimaud de Visão foi lançado em 2006 em homenagem ao industrial português António Champalimaud (1918-2004), mentor da Fundação Champalimaud e que ficou cego numa fase avançada da sua vida.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
ENTREVISTA
Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P.
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ