ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Grupo Garland estima crescimento de 5,3% no primeiro semestre do ano
Revista PORT.COM • 01-Jul-2017
Grupo Garland estima crescimento de 5,3% no primeiro semestre do ano



Desde 2012, um ano após a entrada do FMI em Portugal, a Garland investiu aproximadamente 11 milhões de euros.

A Garland iniciou, em 2012, um ciclo de investimento em instalações logísticas, infraestruturas e em Tecnologias de Informação (TI), com vista a tornar a empresa mais competitiva num setor cada vez mais concorrencial e global, “o qual deverá ficar concluído no próximo ano com mais um milhão a investir”. 

Esta estratégia tem permitido ao grupo português, uma das principais empresas nacionais de transportes, logística e navegação, manter uma média de crescimento de 6,8% nos últimos três anos. Em 2016, o volume de negócios foi de 112 milhões de euros e, no primeiro semestre do ano, é já 5,3% superior ao alcançado em período homólogo. 

Até ao final deste mês, o Grupo Garland estima faturar sensivelmente 58,4 milhões de euros, devendo-se o crescimento sobretudo ao impulso que o volume de negócios em território nacional tem registado – 47,9 milhões, mais 8% que em período homólogo de 2016. 

No final do ano, a empresa quer chegar aos 120 milhões de euros de faturação e a um crescimento superior a 5%; resultados que espera alcançar em função de um primeiro quadrimestre animado pelo crescimento das exportações nacionais, sobretudo para mercados como o norte-americano.

Em 2016, o setor de transportes e logística foi o que mais concorreu para os resultados alcançados, mais precisamente para um total de faturação de 62,8 M€, mais 7,5% que em igual período do ano anterior. Esta área de negócio representou 56,1% do volume de negócios alcançado. 

Com um crescimento de 2,75% comparativamente a 2015, a Garland conseguiu contornar os efeitos de alguns acontecimentos negativos, que marcaram o setor. Recorde-se que o transporte marítimo de mercadorias tem tido um crescimento muito moderado, tendo Portugal enfrentado a contestação no Porto de Lisboa. De assinalar ainda o crescimento de quase 20% da Garland no transporte aéreo de mercadorias para exportação no nosso país, em contraciclo com o setor que registou um decréscimo. 

 

Investimentos de 11 milhões em quatro anos 

O mercado de transportes e logística tem absorvido a maior parte dos investimentos da Garland desde 2012. O segundo Centro Logístico da Maia, inaugurado nesse ano pelo então Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e vencedor de vários prémios de melhor empreendimento industrial do ano, foi ampliado no ano passado com vista a receber uma nova unidade de negócio – a logística para ecommerce –, na qual a empresa está empenhada em se tornar um dos principais players a médio prazo. O investimento foi de 500 mil euros. Já o primeiro Centro Logístico da Maia está a ser intervencionado este ano, num investimento de 1,4 milhões.  

A remodelação do Centro Logístico da Abóboda e construção do edifício social para onde a Garland mudou a sua sede, depois de mais de um século sediado no Cais do Sodré, custou 3,5 milhões de euros.  

O ano passado ficou marcado ainda pela abertura do novo Centro Logístico de Gaia, resultante da requalificação da antiga fábrica Yazaki Saltano – um investimento de 3,5 milhões – e do arranque do Centro Logístico da Mealhada, um imóvel arrendado. 

A fechar este ciclo, a Garland já investiu mais de 1,5 milhão na modernização da empresa com tecnologias de informação (TI). 

“Pretendemos ser cada vez mais competitivos, reduzir custos e permitir que os clientes conheçam just in time o estado dos seus processos e, para tal, temos vindo a adotar, entre outras TI, softwares de última geração.”, refere Peter Dawson no comunicado.

Em 2016, a Garland movimentou 23 mil camiões internacionais e foi responsável por mais de 194 mil serviços de transporte de mercadorias terrestre. Com 793 mil toneladas carregadas, a empresa movimentou 170 mil paletes, mais de dois milhões de peças de vestuário penduradas e mais de 8,5 milhões de caixas. Cerca de 1.150 toneladas foram transportadas via aérea.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A sua atitude de confiança conta: não só com o vírus...
Susana Cor de Rosa
Consultora empresarial
Os efeitos do medo do coronavírus...
Daniel Bastos
Historiador
Novo Coronavírus provoca epidemia com desfecho imprevisível
Alfredo Martins
Internista e Coordenador do NEDResp
DISCURSO DIRETO
A Fundação ISS e o apoio na África Lusófona
Eulalia Devesa, Diretora da Fundação ISS Mais Um Sorriso
PORTUGAL
«Cada vez faz menos sentido falar de emigração»
José Cesário, Deputado do PSD
PORTUGAL
O Projeto de Mobilidade na CPLP
Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios estrangeiros
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ