ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Emigrantes interessados em investir no interior de Portugal
Revista PORT.COM • 18-Mai-2018
Emigrantes interessados em investir no interior de Portugal



O presidente de Pedrogão Grande foi um dos presidentes que disse existirem emigrantes interessados em investir no município, que foi um dos mais afetados pelos incêndios de junho de 2017.

O IV Encontro Nacional de Gabinetes de Apoio ao Emigrante, que se realizou em Pedrogão Grande, juntou dezenas de municípios portugueses que debateram assuntos relacionados com a Segurança Social estrangeira, comunitária e extracomunitária, equivalência de estudos, investimentos, dupla tributação, pedidos de colocação no estrangeiro, informação jurídica, legalização de viaturas e isenção de Imposto Automóvel e a Campanha Trabalhar no Estrangeiro.

Durante o evento, que contou com a presença do secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, Valdemar Alves, presidente de Pedrogão Grande, afirmou que já existe interesse de portugueses que estão noutros países, em investir no município.  

«Já estamos a conversar com alguns investidores emigrantes e outros estrangeiros que os emigrantes estão a trazer, não são muitos, mas para nós quatro ou cinco já é muito», revelou aos jornalistas Valdemar Alves.

De acordo com Valdemar Alves, o concelho de Pedrógão Grande já está a "receber pedidos de informação sobre onde [os potenciais investidores] se podem estabelecer, garantias daquilo que nós damos" e das condições da Autoridade Tributária.

Na cerimónia, Pedrógão Grande foi um dos cinco concelhos, juntamente com Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera e Figueiró dos vinhos, que assinaram protocolos para a criação de Gabinetes de Apoio ao Emigrante.

Durante o encontro, foi apresentada a plataforma informática que já está disponível online e que compila toda a informação que estava dispersa pelo conjunto dos cerca de 140 municípios que possuem gabinetes de apoio ao emigrante.

Segundo o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, os novos gabinetes de apoio ao emigrante têm uma função articulada com o gabinete de apoio ao investidor da diáspora, «tendo em vista, por um lado, apoiar o processo de internacionalização de micro, pequenas ou médias empresas locais, mas também para atrair investimento das comunidades portuguesas para estes territórios».

No total, Portugal passa agora a contar com gabinetes de apoio ao emigrante em 138 municípios e em quatro grandes juntas de freguesia.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Macau: uma oportunidade ainda a descobrir
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
A importância da participação eleitoral nas comunidades
José Luís Carneiro
SECP
4 pilares para a prevenção de Alzheimer
George Perry
Diretor da Fac. de Ciências da Univ. do Texas
DISCURSO DIRETO
A preservação da memória e identidade da emigração portuguesa na toponímia
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Portugal a votos
José Caria, Diretor-Adjunto da PORT.com
PORTUGAL
Lusos em Luanda
Jack Soifer, Consultor Internacional
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ