ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Vinhos do Douro e Trás-os-Montes à conquista do mercado americano
Revista PORT.COM • 17-Jun-2018
Vinhos do Douro e Trás-os-Montes à conquista do mercado americano



Os Estados Unidos da América (EUA) são um mercado prioritário para os vinhos do Douro e de Trás-os-Montes pela sua dimensão, poder de compra, potencial de crescimento e pelos muitos emigrantes portugueses que se espalham pelo país.

«Para nós, este é um dos mercados essenciais. É um mercado fundamental, muito grande, e estamos a tentar alargar a nossa presença aqui», afirmou à agência Lusa Francisco Gonçalves, enólogo que há cerca de três anos lançou a marca de vinhos Mont'Alegre.

O produtor integra uma missão empresarial que, no âmbito do projeto "Norte - com um pé dentro...", está a realizar uma ação de promoção que já passou por Nova Iorque, está em Boston e vai prosseguir para o Canadá.

Francisco Gonçalves salientou que o mercado norte-americano possui «poder de compra, está a crescer em consumo e procura "vinhos diferentes».

O enólogo possui uma adega em Montalegre, o concelho mais a norte do distrito de Vila Real, onde faz o estágio dos vinhos que adquire nas zonas de Chaves e do planalto mirandês, em Trás-os-Montes.

A sua empresa exporta cerca de 15% da produção para os EUA, mas este é ainda um mercado «com muito para desbravar e onde é preciso insistir muito».

«Estão abertas as portas, há uma curiosidade muito grande sobre os vinhos portugueses e há uma curiosidade do consumidor americano pelos nossos vinhos», referiu.

Celeste Marques, da Adega Cooperativa de Sabrosa, em plena Região Demarcada do Douro, também considerou a América do Norte um «mercado prioritário devido à grande comunidade de emigrantes portugueses que se espalha pelos vários Estados».

A Adega de Sabrosa, que vende a marca de vinhos Fernão Magalhães, ainda não exporta para os EUA, mas o seu projeto de internacionalização passa «pela descoberta» deste país, onde se quer posicionar tanto a nível dos vinhos do Porto como dos da denominação de origem protegida Douro (DOP Douro).

«É um país de difícil implantação até porque tem aqui os vinhos deles e há muita concorrência. Mas este é um mercado muito importante», frisou.

Os produtores participaram numa ação de promoção a bordo do navio-escola Sagres, no porto de Boston, onde marcaram presença importadores, distribuidores, proprietários de lojas de bebidas e proprietários de restaurantes.

De acordo com dados do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP), em 2017 foram exportados 33,5 milhões de euros de vinho do Porto para os EUA, menos 0,7% do que no ano anterior.

Verificou-se uma ligeira quebra nas exportações para os EUA, depois de uma evolução positiva desde 2009.

Relativamente aos DOP Douro, de acordo com o IVDP, em 2017 foram exportados para os EUA quatro milhões de euros, registando-se uma quebra de 28%.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ