ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Grupo banco mundial quer empresas portuguesas a investir mais em África
Revista PORT.COM • 22-Set-2018
Grupo banco mundial quer empresas portuguesas a investir mais em África



O vice-presidente da Sociedade Financeira Internacional, o braço do Grupo Banco Mundial para o apoio aos investimentos privados, salientou que a instituição tem «apetite pelo risco» e defendeu as vantagens das parcerias para as empresas portuguesas.

«Temos apetite pelo risco, podemos partilhar o risco e ajudar a entrar em mercados onde as empresas não entrariam por si próprias», disse o vice-presidente da Internacional Finance Corporation (IFC) Sérgio Pimenta durante uma conferência em Lisboa, no auditório da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Numa sala repleta de empresários e investidores portugueses, Sérgio Pimenta considerou que «o papel do setor privado é cada vez mais importante no desenvolvimento» e acrescentou que devido ao crescente endividamento dos países, nomeadamente em África, e consequente falta de capacidade para investir, «o setor privado tem de estar no centro da imagem, porque os governos não têm capacidade para fazer investimentos».

O responsável salientou que o Grupo Banco Mundial recebeu, em abril, um aumento de capital e instruções dos acionistas para direcionar os investimentos para países emergentes e de risco, o que, disse, é vantajoso para as empresas portuguesas que queiram investir na África lusófona.

«O nosso portefólio de investimento tende a concentrar-se nos países anglófonos, em África o portefólio é menos de 10%, passou para 30% o ano passado e pela primeira vez é a maior região em termos de investimento do IFC, portanto isto é vantajoso para as empresas portuguesas ou que falem português, porque um dos grandes desafios que as empresas estrangeiras sentem é a barreira da língua», vincou o banqueiro.

O IFC é a instituição que financia investimentos privados através de garantias, empréstimos e aplicações financeiras, sendo um dos três braços do Grupo Banco Mundial para potenciar o crescimento económico dos países mais necessitados, sendo que os outros dois são o próprio Banco Mundial, que empresta dinheiro a governos e oferece apoio a nível orçamental, setorial e de políticas públicas, e, por último, a Agência Multilateral para as Garantias de Investimento - MIGA, especializada em instrumentos para baixar os riscos de investimentos.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ