ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Parlamento Europeu celebra os 20 anos do euro
Revista PORT.COM • 15-Jan-2019
Parlamento Europeu celebra os 20 anos do euro



Mário Centeno sublinhou que «muito foi alcançado» desde a criação do euro, mas lembra que é necessário assegurar que «zona euro está bem preparada para lidar com futuras crises».

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, defendeu um reforço da moeda única para assegurar a capacidade de «lidar com futuras crises», frisando que só uma reforma do euro garantirá «resiliência e bom funcionamento» económico da União Europeia.

Falando na celebração do 20.º aniversário da criação do euro, que decorreu no âmbito da sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França, Mário Centeno sublinhou que «muito foi alcançado» nestes anos, mas vincou ser «necessário mais para assegurar que a zona euro está bem preparada para lidar com futuras crises».

O também governante português assinalou que «nem sempre estes últimos 20 anos foram fáceis», já que «a crise financeira e da dívida soberana colocou a moeda única à prova».

«Insuficiências na criação da União Económica e Monetária vieram à tona», admitiu, referindo que, apesar disso, «a moeda única emergiu mais forte da crise devido às fortes políticas nacionais e às importantes melhorias no quadro institucional da zona euro».

Por isso, «a zona euro beneficia agora de uma expansão económica generalizada», apontou.

Ainda assim, apesar das «perspetivas positivas», Mário Centeno antecipou “riscos” de abrandamento do crescimento.

Defendeu, assim, uma reforma da moeda única: «Acredito que este projeto pode, com o tempo, percorrer um longo caminho para tornar o euro estável e inclusivo».

Em causa estão medidas como um sistema europeu de seguro de depósitos e de resolução bancária na zona euro.

«Passo a passo, estamos a aumentar a resiliência e o bom funcionamento da União Monetária», concluiu.

Usado por 340 milhões de europeus em 19 Estados-membros, o euro foi criado em 01 de janeiro de 1999.

Por seu lado, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, comentou ironicamente que a comemoração de hoje «é surpreendente», pois muitos diziam que era «uma aventura» impossível, que deixaria a União Europeia «à beira do abismo».

«Lembrem-se que quando lançámos o processo que nos conduziu à moeda única, tomaram-nos por loucos. Hoje já não os ouvimos tanto», declarou Juncker, que também presidiu ao Eurogrupo, no auge da crise económica e financeira.

Recuando até esses tempos da crise, admitiu que «houve austeridade irrefletida», lamentou que se tenha «dado demasiada importância à influência do Fundo Monetário Internacional», e reconheceu designadamente a dureza que foi infligida à Grécia.

«Regozijo-me com o facto de ver a Grécia e Portugal terem redescoberto, não digo um lugar ao sol, mas um lugar entre as antigas democracias europeias», declarou.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
A emigração portuguesa para a Holanda
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ