ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Acordo económico entre a UE e o Japão representa «enorme potencial» para produtos portugueses
Revista PORT.COM • 02-Fev-2019
Acordo económico entre a UE e o Japão representa «enorme potencial» para produtos portugueses



O ministro dos Negócios Estrangeiros assinalou a entrada em vigor do Acordo de Parceria Económica entre a União Europeia (UE) e o Japão, considerando que o protocolo «encerra um enorme potencial» para o país e para os produtos nacionais.

«Este acordo encerra um enorme potencial para Portugal e para os produtos nacionais, atendendo à dimensão do mercado japonês e ao relacionamento histórico com um parceiro que vem assumindo uma importância crescente para as empresas nacionais» pode ler-se no comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O Acordo de Parceria Económica UE-Japão, classificado como o mais importante acordo comercial bilateral jamais celebrado pelo bloco europeu, entrou em vigor a 1 de fevereiro, tendo os representantes de Bruxelas afirmado que este compromisso representa "uma mensagem ao mundo".

«A Europa e o Japão estão a enviar uma mensagem ao mundo sobre o futuro de um comércio aberto e justo. Acima de tudo, o nosso acordo mostra que o comércio é mais do que quotas e taxas, ou milhões ou milhares de milhões. É sobre valores, princípios e justiça», afirmou a propósito o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

As autoridades portuguesas, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, também se congratularam com a entrada em vigor daquele que consideram “o maior e mais vasto acordo de comércio livre celebrado pela UE com um país terceiro", que é também "um testemunho da abertura da Europa ao comércio livre e justo, alicerçado num quadro multilateral com regras".

«As vantagens deste acordo são significativas para as empresas e para os cidadãos da UE e do Japão, em resultado da criação de uma zona económica em que os produtos e os serviços irão circular de forma mais fácil e menos onerosa decorrente da eliminação dos direitos aduaneiros e das barreiras regulamentares, mas respeitando sempre os mais elevados padrões sociais, ambientais e de segurança dos consumidores, assumindo um compromisso específico em relação ao Acordo de Paris sobre alterações climáticas», enumerou a diplomacia portuguesa.

O acordo, que abrange cerca de um terço do produto interno bruto (PIB) mundial, quase 40% do comércio mundial e 635 milhões de pessoas, eliminará a maior parte dos mil milhões de euros de direitos aduaneiros pagos anualmente pelas empresas da UE que exportam para o Japão, bem como uma série de barreiras regulamentares de longa data, como por exemplo sobre os veículos.

Além disso, abrirá também o mercado japonês, que conta com 127 milhões de consumidores, às principais exportações da UE e aumentará as oportunidades de exportação da União numa série de outros setores.

O acordo comercial com o Japão prevê novas oportunidades para a exportação de produtos agroalimentares da UE, como o vinho, a carne de bovino, a carne de suíno e o queijo, e protege 205 indicações geográficas europeias, entre as quais diversas portuguesas, como os vinhos do Porto, Douro, Alentejo, Bairrada, Dão, Lisboa, Madeira, Tejo e Vinho Verde e o Queijo de S. Jorge e a Pera Rocha. Segundo os dados disponibilizados pela própria EU, há atualmente 898 empresas portuguesas que exportam bens e serviços para o Japão, 87% das quais são PME’s.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ