ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Venezuela quer que empresas portuguesas se estabeleçam no país
Revista PORT.COM • 30-Set-2016
Venezuela quer que empresas portuguesas se estabeleçam no país



Jesus Faria referiu que o Governo venezuelano tem grande esperança que as relações com Portugal “continuem a aumentar”.

A Venezuela está a passar por uma transformação na sua economia e pretende incorporar capital estrangeiro na sua estrutura económica, interessando-lhe que as empresas portuguesas se estabeleçam no país, afirmou um ministro da Venezuela.

“Nós estamos a viver um momento complexo na nossa economia, há um processo de transformação da economia para um modelo produtivo, assim, estamos a abrir a nossa economia, a nossa estrutura económica para que se incorpore o capital internacional”, declarou à Lusa Jesus Faria ministro do Comércio Exterior e Investimento Internacional da Venezuela.

Na entrevista à Lusa, afirmou: “nós estamos muito interessados que empresas portuguesas, empresas que num passado recente tiveram uma destacada participação em nosso desenvolvimento, empresas muito sérias, de grande compromisso, que cumprem com os acordos, que possam chegar maciçamente e incrementar a sua presença para que nos possamos desenvolver”.

O ministro, que esteve na quinta-feira em Lisboa num seminário na sede da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), destacou o grande nível já alcançado nas relações económicas, políticas e culturais entre os dois países.

“Nosso plano de industrialização passa pela substituição de importações e pela promoção das exportações e, para isso, é absolutamente necessário o contacto, a comunicação, a informação fluida e gerar sobre essa base muita confiança”, indicou.

Segundo o ministro, a Venezuela pretende que os empresários sintam essa “transparência e confiança”.

“(Queremos) convidar os empresários portugueses para que participem nesse processo, que é muito importante e histórico para a nossa economia, sobretudo na transformação para a industrialização, para a produtividade e que contribuam para o seu benefício e também para o benefício e desenvolvimento do país”, afirmou.

Sobre a situação da TAP, lembrou que a companhia aérea portuguesa manteve as operações no país e é do interesse da Venezuela que a empresa aérea portuguesa “funcione de uma maneira estável, para que possa seguir consolidando a sua participação na Venezuela”.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Macau: uma oportunidade ainda a descobrir
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
A importância da participação eleitoral nas comunidades
José Luís Carneiro
SECP
4 pilares para a prevenção de Alzheimer
George Perry
Diretor da Fac. de Ciências da Univ. do Texas
DISCURSO DIRETO
A preservação da memória e identidade da emigração portuguesa na toponímia
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Portugal a votos
José Caria, Diretor-Adjunto da PORT.com
PORTUGAL
Lusos em Luanda
Jack Soifer, Consultor Internacional
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ