ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Produtores do Oeste estimam colheita de 200 mil toneladas de pera rocha
Revista PORT.COM • 14-Ago-2019
Produtores do Oeste estimam colheita de 200 mil toneladas de pera rocha



A campanha da pera rocha arrancou com os produtores do Oeste a estimarem uma colheita de 200 mil toneladas do fruto cujo mercado se alargará no próximo ano à China.

A produção, em 2019, «deverá andar em valores muito idênticos aos do ano passado», ou seja, «na ordem das 200 mil toneladas», disse à agência Lusa o presidente da Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha (ANP), Domingos dos Santos.

De acordo com o mesmo responsável, durante a colheita poderá ser registada «alguma quebra em relação ao potencial de produção» da região já que, «nas zonas mais a sul, há produções afetadas com a estenfiliose da pereira [um fungo que causa manchas castanhas no fruto]», devido, por um lado, a «serem zonas mais húmidas» e, por outro, explicou Domingos dos Santos, «pelo verão atípico».

Ainda assim, a ANP prevê que «as dinâmicas não fujam ao que foi a campanha anterior», quer em termos de colheita quer de comercialização, com 60% da produção a ser escoada para mais de uma dezena de mercados estrangeiros.

As preocupações em termos de mercado prendem-se este ano com os mercados do Brasil (que assegura um quarto das aquisições pera rocha no estrangeiro) e do Reino Unido.

Os constrangimentos decorrem, no primeiro caso, «da situação económica, que tem sido muito critica», reduzindo a capacidade de aquisição do fruto.

Em relação ao Reino Unido, a ANP admite «alguma apreensão com um 'brexit' sem controlo». o que poderá obrigar a «aplicar a pauta aduaneira da Organização Mundial do Comércio, em que a fruta vai chegar lá mais cara», e menos acessível às pessoas com «menos poder de compra», disse o presidente.

Em alternativa, a associação começou já a preparar novos mercados, entre os quais a China, onde a pera poderá ser comercializada em 2020.

Já este ano, uma comitiva chinesa visitou a associação, que pretende em novembro «participar numa feira em Xangai [uma das principais cidades da China] para promover a pera» e, em simultâneo, «para tentar abreviar os processos relativamente aos protocolos fitossanitários» e começar «a operacionalizara parte comercial».

A pera rocha do Oeste possui desde 2003 Denominação de Origem Protegida (DOP), selo da União Europeia que certifica a qualidade e tradição de produtos alimentares e agrícolas.

É produzida maioritariamente entre Mafra e Leiria, sendo os concelhos de maior produção os do Cadaval e do Bombarral.

É um dos produtos agrícolas nacionais mais exportados, sendo o Brasil, o Reino Unido, a França, a Alemanha e Marrocos os cinco principais destinos das exportações.

A ANP possui cinco mil produtores associados e cria 4.700 postos de trabalho anuais, chegando, durante a campanha, a empregar mais de 15 mil pessoas por dia.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ