ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Deep Money: Ainda há várias notas falsas a circular no espaço europeu
Revista PORT.COM • 10-Set-2019
Deep Money: Ainda há várias notas falsas a circular no espaço europeu



A Polícia Judiciária (PJ) comunicou que ainda circulam várias centenas de notas falsas, mesmo após o desmantelamento da segunda maior rede de contrafação de moeda no espaço europeu, com a apreensão de mais de 1,3 milhões de euros.

Numa conferência de imprensa, que decorreu ontem nas instalações da PJ em Lisboa, o coordenador Luís Ribeiro, da Unidade Nacional de Combate, explicou que a rede foi formada no início de 2017 e que desde aí produziu milhares de notas de euros falsas "com muito boa qualidade", tendo a maquinaria apreendida sendo encontrada em casas.

"Apesar da apreensão de milhares de notas contrafeitas, é muito comum que nos próximos meses ainda haja a circular algumas notas que vão sendo apreendidas", afirmou.

A comercialização das notas fazia-se através da 'darknet' e os criminosos conseguiam entre 20 a 25% de lucro, isto é, 100 mil euros eram vendidos por 20 ou 25 mil euros.

Quase 5 mil notas falsas apreendidas em Portugal

No início de julho, e durante várias buscas, foram apreendidas em Portugal cerca de cinco mil notas falsas de euro, no valor aproximado de 250 mil euros, e "diversos objetos relacionados com a produção das notas, nomeadamente computadores, impressoras, papel de segurança com incorporação de filamento de segurança, hologramas e bandas holográficas autoadesivas, tintas ultravioleta e tinteiros".

"As notas eram publicitadas e comercializadas através da 'darknet' e recebidas as encomendas por essa via ou através de algumas aplicações móveis e posteriormente o presumível cabecilha remetia essa informação aos elementos do grupo que encontravam em Portugal que por sua vez produziam as notas e enviavam por correio", explicou o polícia.

Luís Ribeiro disse ainda que a qualidade das notas, foram consideradas unanimemente pelos vários compradores que frequentam a ´darknet´ “como as melhores".

As notas contrafeitas foram apreendidas em praticamente todo o espaço europeu, com maior incidência em França, Alemanha, Espanha e Portugal e globalmente desde janeiro de 2017 foram apreendidas notas com valor superior de 1,3 milhões de euros.

Entre as cinco pessoas detidas e já com medidas privativas da liberdade, estão cidadãos portugueses e franceses.

Um dos detidos é português, tem 35 anos, e é considerado pela PJ como o cabecilha da rede que foi detido a 23 de agosto na Colômbia e posteriormente entregue à PJ em Portugal.

O homem tem registo criminal por vários crimes, nomeadamente tráfico de droga e extorsão sexual.

 


Etiquetas
Partilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
ENTREVISTA
Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P.
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ