ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Revogação da propina do Ensino de Português no Estrangeiro apreciada no parlamento
Revista PORT.COM • 20-Out-2016
Revogação da propina do Ensino de Português no Estrangeiro apreciada no parlamento



O social-democrata classificou como “muito importante a contextualização desta medida”, já que “compete ao atual Governo ponderar hoje se tem ou não condições para abdicar dessa receita”.

O parlamento vai apreciar em plenário dois projetos de lei que preveem a revogação da propina do Ensino de Português no Estrangeiro, depois de a comissão de Negócios Estrangeiros ter aprovado por unanimidade um parecer nesse sentido.

O autor do parecer, o deputado social-democrata José Cesário, considerou que os projetos apresentados pelo PCP e pelo Bloco de Esquerda (BE), que revogam a propina do Ensino de Português no Estrangeiro (EPE), estabelecendo ainda o do BE a gratuitidade dos manuais escolares nos cursos do EPE, “estão em condições de ser apreciados pelo plenário da Assembleia da República”.

A unanimidade na votação realizada no final da reunião da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e das Comunidades Portuguesas surpreendeu o respetivo presidente, o deputado socialista Sérgio Sousa Pinto, devido à acesa discussão que a precedeu, desencadeada por Paulo Pisco (PS), que classificou como ambígua a opinião expressa no parecer por José Cesário, que acusou de “falta de coerência política”.

José Cesário era secretário de Estado das Comunidades Portuguesas quando, em 2012, o Governo de coligação PSD/CDS introduziu o pagamento de uma propina em alguns setores do EPE, uma medida na altura muito criticada pela oposição, em particular pelo Partido Socialista.

Agora, o antigo governante defendeu que embora “em tese e se houvesse recursos ilimitados” gostasse de ver eliminada a propina, esse cenário não corresponde à realidade e cabe aos governantes a responsabilidade de agir em conformidade.

“A receita resultante da adoção desta propina, num valor de cerca de 1,4 milhões de euros, foi fundamental para a criação de mecanismos de avaliação e de certificação das aprendizagens de acordo com padrões internacionais consagrados no Quadro Europeu de Línguas, para o lançamento de um programa de incentivo à leitura e para o desenvolvimento de medidas de enquadramento e apoio ao ensino de português nos países até aí mal cobertos pela rede do EPE”, sustentou Cesário.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
Mar de Sonhos – a emigração nos vapores transatlânticos
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ