ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

José Luís Carneiro apela à participação eleitoral dos portugueses no estrangeiro
Revista PORT.COM • 02-Out-2018
José Luís Carneiro apela à participação eleitoral dos portugueses no estrangeiro



O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas participou, entre os dias 28 e 30 de setembro, em três sessões designadas 'Diálogos com as Comunidades: Leis Eleitorais + Participação', em Londres, Paris e Luxemburgo, na companhia da secretária de Estado da Administração Adjunta e da Interna, Isabel Oneto.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, manifestou o desejo que os portugueses no estrangeiro se mobilizem e participem nos atos eleitorais do seu país.

Os portugueses residentes no estrangeiro passam a estar recenseados automaticamente com base na morada constante no cartão de cidadão, o que até então só acontecia com os residentes no território nacional.

Esta nova lei que introduz o recenseamento automático, mas não obrigatório, poderá traduzir-se num aumento do número de recenseados no estrangeiro, que passará, potencialmente, de 318 mil para 1 milhão e 450 mil cidadãos.

Cada cidadão será notificado da sua inclusão nos cadernos de recenseamento. A partir dessa data, terá 30 dias para responder à notificação, caso não deseje constar dos cadernos de recenseamento. Esta operação de recenseamento e notificação dos cidadãos representará uma despesa de sete milhões de euros e estará concretizada a tempo das eleições legislativas de 2019, revelou a secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto.

«Vamos fazer esse esforço para dar ao cidadão que está no estrangeiro oportunidade para exercer o seu direito de votar», afirmou a governante.

José Luís Carneiro referiu que foram removidos obstáculos à participação dos cidadãos portugueses no estrangeiro e notou que a nova legislação vem contribuir para o enriquecimento, a valorização e o amadurecimento da democracia portuguesa.

As sessões, que se realizaram em instalações diplomáticas e consulares portuguesas naquelas capitais estrangeiras, contaram com a presença do Diretor-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas, Júlio Vilela, que explicou o caráter complexo e minucioso do trabalho que esteve na origem desta medida e que passou pelo mapeamento de 1,1 milhões de moradas de cidadãos com endereço no estrangeiro.

Estiveram presentes, ainda, os Embaixadores de Portugal no Reino Unido e em França, Manuel Lobo Antunes e Jorge Torres Pereira, bem como os Cônsules Gerais de Portugal em Londres, Paris e Luxemburgo, respetivamente Cristina Pucarinho, António Moniz e Manuel Gomes Samuel. 

As novas leis eleitorais consagram ainda a possibilidade de os duplos nacionais poderem concorrer à Assembleia da República nas eleições legislativas e o porte pago ao voto por correspondência nas legislativas, entre outras alterações como o voto presencial nestas eleições.

O esclarecimento dos cidadãos sobre estas matérias prosseguirá no futuro, com a realização de campanhas informativas nos órgãos de comunicação social e com sessões de informação a terem lugar junto de outras comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Significado das próximas eleições para a Assembleia da República
Paulo Pisco
Deputado do PS
Incêndios rurais: prevenir é mesmo o melhor remédio
Miguel Freitas
Sec. de Estado das Florestas
Por um regresso seguro a casa
José Artur Neves
Sec. de Estado da Proteção Civil
DISCURSO DIRETO
Monumentos ao emigrante em Portugal
Daniel Bastos, Historiador
PORTUGAL
Defesa de nova visão sobre as comunidades portuguesas
José Luís Carneiro
PORTUGAL
Um eterno e constante devir....
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ