ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Portugal reconhece Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela
Revista PORT.COM • 04-Fev-2019
Portugal reconhece Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela



O Governo português acaba de reconhecer Juan Guaidó «como Presidente encarregado de convocar eleições livres e justas na Venezuela».

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, deu uma conferência de imprensa onde explicou a posição portuguesa de reconhecimento de Juan Guaidó como Presidente encarregado de convocar eleições livres e justas na Venezuela.

«Portugal reconhece e apoia a legitimidade do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, como Presidente interino nos termos constitucionais da República da Venezuela, com o encargo de convocar, preparar e organizar eleições presidenciais livres, inclusivas e justas, que decorram de acordo com os padrões internacionais aplicáveis», começou por afirmar Santos Silva.

«Queria também comunicar que, fazendo parte Portugal do grupo de contacto internacional lançado por iniciativa da União Europeia, eu próprio estarei presente representando Portugal na primeira reunião a nível ministerial desse grupo, que se realizará na próxima quinta-feira, em Montevidéu, capital do Uruguai», destacou.

O grupo internacional de contacto é constituído oito países europeus (entre eles Portugal) e quatro países latino-americanos, com o objetivo essencial de apoiar os venezuelanos numa transição política pacífica que se faça através da convocação, tão breve quanto possível, de novas eleições presidenciais que decorram de forma justa e transparente.

Relativamente à segurança dos portugueses e luso-venezuelanos, o ministro explicou que esta «é a melhor medida».

«Aquilo que põe em risco a segurança e o bem-estar da numerosa comunidade portuguesa e luso-venezuelana é o agravar da instabilidade política e é, sobretudo, o agravar das condições económicas e sociais que hoje já são tão terríveis e já atingem os nossos compatriotas e os seus descendentes. Portanto, uma iniciativa para superar a atual crise política é a melhor medida que pode fazer-se na defesa dos interesses dos portugueses e luso-venezuelanos. Essa é a nossa preocupação número um e é tendo em conta essa preocupação que Portugal participou ativamente, juntamente com outros Estados-Membros, na constituição deste grupo de contacto internacional […] e é também por isso que Portugal reconhece a legitimidade do único que, à luz da Constituição venezuelana, pode convocar essas novas eleições», disse ainda o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Portugal junta-se assim a outros países europeus, como Espanha, Reino Unido, Suécia, Dinamarca e França, que já esta segunda-feira reconheceram o presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, como presidente interino, após expirar o prazo de oito dias para que o presidente Nicolás Maduro convocasse eleições presidenciais.

Portugal, Espanha, França, Alemanha, Holanda e Reino Unido tinham dado oito dias a Maduro para convocar eleições, um prazo que terminou no domingo.

 

Foto em destaque ©EPA


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ