ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Guaidó também pede ajuda do Papa Francisco para sair da crise
Revista PORT.COM • 08-Fev-2019
Guaidó também pede ajuda do Papa Francisco para sair da crise



O autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, apelou ao Papa Francisco para o ajudar conseguir marcar eleições livres no país e terminar com «a usurpação» (de poder) por Nicolas Maduro.

O apelo de Guaidó surgiu dias depois de também o Presidente eleito, Nicolas Maduro, ter pedido a mediação do Papa no conflito político que se vive na Venezuela, numa carta enviada para o Vaticano.

«Peço a quem nos possa ajudar, como o Santo Padre, e a todas as diplomacias, para que possam colaborar a por fim à usurpação (de poder), para um governo de transição que leve a eleições verdadeiramente livres», afirmou Juan Guaidó, numa entrevista a um canal italiano de televisão.

Na entrevista, Guaidó, cuja Presidência interina foi já reconhecida por dezenas de países, acusou Nicolas Maduro de ser responsável pelo «assassínio a sangue frio» de dezenas de opositores, para os intimidar.

Guaidó afirmou ficar muito contente se pudesse receber o Papa na Venezuela, que caracterizou como «um país muito católico».

Esta semana, Nicolas Maduro já tinha enviado uma carta ao Papa, solicitando ajuda para facilitar o diálogo com a oposição.

Em declarações aos jornalistas, no regresso de uma visita a Abu Dabi, o Papa Francisco disse que estaria disposto a esse papel de mediação, sempre que qualquer uma das partes o solicitasse.

«Mas é como quando as pessoas vão ver um padre, havendo um problema entre marido e mulher. Se apenas vai um deles... o outro quer? São sempre precisas as duas partes. Essa é uma condição que os países devem ter em conta, antes de pedir a ajuda ou a presença de um salvador ou de um mediador», explicou o Papa.

O diretor interino do gabinete de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, emitiu um comunicado em que reiterava que «o Santo Padre sempre reservou e, portanto, reserva a possibilidade de verificar a vontade de ambas as partes», antes de iniciar qualquer processo de mediação.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A CPLP mais perto das pessoas
Francisco Ribeiro Telles
Secretário Executivo da CPLP
Gestão multicultural das equipas
António Cunha Meneses Abrantes
Professor Auxiliar na ICN Business School de Nancy
Já se ouve o Fado na Eslovénia
João Pita Costa
Editor da revista luso-eslovena Sardinha
DISCURSO DIRETO
Memórias e recordações da emigração portuguesa na Alemanha
Daniel Bastos
PORTUGAL
«Existe muita exploração laboral perpetrada por portugueses»
Luísa Semedo
FRANÇA
«Mercado chinês tem potencial para as empresas portuguesas»
José Augusto Duarte
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ