ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Madeira: Marcelo deixou três palavras «em nome de todos os portugueses»
Revista PORT.COM • 20-Abr-2019
Madeira: Marcelo deixou três palavras «em nome de todos os portugueses»



O Presidente da República esteve ontem na Madeira para prestar homenagem às vítimas mortais do acidente com o autocarro turístico.

Marcelo Rebelo de Sousa foi à Madeira para prestar homenagem às vítimas mortais do acidente com o autocarro turístico. O Presidente da República começou por referir aos jornalistas a partir do local onde ocorreu o acidente que «queria deixar três palavras, que são ditas em nome de todos os portugueses».

«A primeira é de solidariedade, a solidariedade relativamente aos familiares das vítimas mortais e aos familiares das vítimas que estão a ser assistidas e que felizmente estão a ter uma evolução positiva no seu estado de saúde. Em segundo lugar de agradecimento a todos quantos de uma forma tão rápida, tão eficiente, e foram muitas as instituições, para além das pessoas a título individual, que apareceram a dar o seu contributo e acorrer ao que se passou e proporcionar aquilo que o próprio presidente alemão, quando falei com ele ontem, me agradeceu, pela preocupação de acolher e de cuidar. A terceira e última palavra é naturalmente de determinação, vamos olhar para o futuro, irei estar com os feridos, irei estar com aqueles que aqui estavam também e que não foram atingidos», elencou Marcelo.

O Chefe de Estado fez também questão de deixar «em geral uma palavra para o povo madeirense».

Esta é uma dupla homenagem religiosa, explicou Marcelo, referindo tratar-se de uma homenagem no segundo dos três dias de luto decretados, pois «além da homenagem cívica, porque estarei numa cerimónia luterana na Igreja Presbiteriana, depois o senhor Bispo da Madeira quis associar as cerimónias desta sexta-feira santa e homenagem àqueles que faleceram».

Questionado sobre se está a acompanhar as investigações ao acidente, Marcelo recordou que sobre isso não se pronuncia.

«Há entidades que naturalmente tratam disso, essa não é a função de um Presidente da República, que está aqui para acompanhar tudo o que se passa, mas também para prestar homenagem e prestar solidariedade», sublinhou.

Sobre o estado em que se encontram as infraestruturas na Madeira, «estradas íngremes sem qualquer proteção», o Presidente considerou não ser o momento para abordar esse assunto.

«Penso que estes dias são tão densos e aquilo que sentem as pessoas que foram atingidas, as famílias que foram atingidas, é tão importante que devemos respeitar durante esses dias a prioridade desses seus sentimentos», rematou.

Recorde-se que em sequência do despiste de um autocarro turístico no Caniço, na Madeira, que provocou 29 mortos, há ainda 16 feridos internados no hospital, 14 de nacionalidade alemã e dois de nacionalidade portuguesa.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros alemão e português já se tinham deslocado ao local na quinta-feira. 


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal hoje, um país que incentiva ao regresso
Paulo Pisco
Deputado do PS eleito pelos portugueses na Europa
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro
Peter Dawson
Presidente do grupo Garland
Não há tempo para se perder tempo!
Vítor Ramalho
Secretário-Geral da UCCLA
DISCURSO DIRETO
O português que ajudou a 'erguer' as memórias do World Trade Center
Luís Mendes, arquiteto
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Mobilidade no espaço da lusofonia é um dos maiores desafios»
Teresa Ribeiro, SENEC
PORTUGAL
The last man on the moon
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ