ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Marcelo Rebelo de Sousa: “2017 tem de ser o ano do crescimento económico sustentado”
Revista PORT.COM • 02-Jan-2017
Marcelo Rebelo de Sousa: “2017 tem de ser o ano do crescimento económico sustentado”



O Presidente da República elogiou políticas e soluções encontradas pelo atual Governo, ao qual também deixou alguns recados.

Na primeira mensagem de Ano Novo como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou o que defendeu para o país aquando da sua tomada de posse, há quase dez meses. “Defendi mais e melhor educação, maior coesão, ou seja, menores desigualdades, capacidade de nos unirmos no essencial em clima de estabilidade social e política”, começou por dizer. E continuou: “Mas defendi, também, finanças públicas rigorosas, um sistema bancário mais sólido e crescimento económico capaz de criar riqueza e permitir o combate ao risco de pobreza e uma justa repartição dos rendimentos.”

Para Marcelo, e num elogio à solução de Governo, o ano que terminou foi o da “estabilização política e da preocupação com o rigor financeiro”. Mas terá o Governo cumprido com tudo quanto o Presidente defendeu? “É indesmentível que tivemos estabilidade social e política”, garantiu. E prosseguiu, em tom elogioso: “Alcançámos um acordo sobre salário mínimo, os Orçamentos do Estado mereceram a aceitação da União Europeia, cumprimos as nossas obrigações internacionais, trabalhámos para reforçar o sistema bancário e compensámos alguns dos mais atingidos pela crise”.

Apesar dos “pequenos passos” que se deram para “corrigir injustiças” e criar “uma imagem mais confiável lá fora”, afastando “o espetro de crise política iminente que para muitos era inevitável”, nem tudo correu bem em 2016 e o ano que começa terá que ser “o ano da definição e execução de uma estratégia de crescimento económico sustentado”. E é aqui que Marcelo passa dos elogios aos recados. Muitos recados. “O crescimento da nossa economia foi tardio e insuficiente. Alguns domínios sociais sofreram com os cortes financeiros. A dívida pública permanece muito elevada. O sistema de justiça continua lento e, por isso, menos justo, a começar na garantia da transparência da política”, lembrou o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda na mensagem de Ano Novo dois momentos de 2016 que permitiram “aumentar o nosso amor-próprio” e “ganhar fôlego na formação para um novo tempo”: um deles, a vitória no EURO 2016, que considera um “feliz exemplo”; o outro, a eleição de António Guterres como Secretário-Geral das Nações Unidas, o que permitiu “a afirmação do nosso papel no mundo”.

Por fim, e antevendo o ano de 2017, Marcelo garante que o caminho a seguir é “simples” e passará por “não perder o que de bom houve em 2016 e corrigir o que falhou no passado”. Antes de mais, importará “não perder estabilidade política, paz e concertação”, respeitando o “rigor financeiro” e os “compromissos externos”. Havendo estabilidade, garante Marcelo, o desafio do país será “completar a consolidação do sistema bancário, fomentar exportações, incentivar investimento”, no fundo, “crescer muito mais”.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Aqui, Brasil
Francisco Serra
Cônsul honorário de Portugal em Pelotas, Brasil
Condições mais favoráveis ao exercício do direito de voto
José Vítor Soreto de Barros
Presidente da Comissão Nacional de Eleições
Brasília, El Dorado Luso
Jack Soifer
Consultor Internacional
DISCURSO DIRETO
Um zacatrás por Portugal
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
Há condições para viver em Arcos de Valdevez
João Esteves, presidente da CM de Arcos de Valdevez
PORTUGAL
A comunidade portuguesa e a Venezuela
Paulo Pisco
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ