ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Até onde pode ir o Jardim que Leonardo está a plantar no Mónaco?
Revista PORT.COM • 10-Abr-2017
Até onde pode ir o Jardim que Leonardo está a plantar no Mónaco?



A equipa-sensação do futebol europeu, treinada por madeirense nascido na Venezuela, defronta amanhã o Borussia Dortmund.

O Mónaco é o país com maior esperança média de vida e com um dos PIB per capita mais elevados do mundo. Desde o estilo de vida da família real aos casinos e ao Grande Prémio mais emblemático do mundial de Fórmula 1, tudo aponta para o luxo e riqueza no pequeno principado. Mas no toca ao futebol, não era de grandeza que se falava, até que Leonardo Jardim pôs a equipa local a brilhar entre as maiores estrelas mundiais da modalidade.

Quando chegou ao principado, no verão de 2014, haviam-lhe prometido um projeto de forte investimento financeiro, à imagem do que levou o PSG a deter a hegemonia do futebol francês. Mas as contratações avultadas de jogadores como Radamel Falcao, James Rodríguez e João Moutinho rapidamente deram lugar à aposta em jovens desconhecidos.

No final da primeira época no conjunto monegasco, Leonardo Jardim estranhou não ver o seu nome entre os candidatos a treinador do ano em França, depois de ter chegado aos quartos de final da Champions e ser terceiro na liga interna. Na lista só constavam nomes gauleses. Num tom irónico, respondeu que talvez fosse nomeado para melhor pedreiro, deixando no ar que talvez possivelmente tivesse sido preterido devido à sua nacionalidade.

Desde então, o Mónaco continuou a construir plantéis sem contratações dispendiosas. Mesmo assim, está na luta pelos dois principais títulos do francês (campeonato e taça), tem o ataque mais avassalador da Europa e muitos dos jovens desconhecidos são agora dos futebolistas mais cobiçados do mundo, como são os casos de Kylian Mbappé (18 anos), Thomas Lemar (21) e Bernardo Silva (22).

Agora torna-se ainda mais difícil para o mais nacionalista dos franceses deixar de admirar a equipa liderada pelo treinador que nasceu na Venezuela e cresceu na Madeira, a ilha dos seus pais. O Mónaco de Jardim está em primeiro lugar na Ligue1, à frente dos tetracampeões do PSG, cujo plantel continua a reunir muitos dos futebolistas mais caros à escala internacional. Está na final da Taça da Liga, onde defronta a equipa parisiense e também nos quartos de final da Taça de França.

Tudo isto se torna mais surpreendente se se tiver em conta que desde a temporada 2002/03, quando os monegascos venceram a Taça da Liga, que o clube do principado não ergue qualquer troféu.

O momento que colocou todos os holofotes sobre o Mónaco foi a eliminação do poderoso Manchester City na UEFA Champions League. Em oito anos, nunca uma equipa treinada pelo espanhol Pep Guardiola havia sido eliminada da mais prestigiada competição a nível de clubes antes das meias-finais. Desta vez “caiu” nos oitavos.

A imprensa internacional rendeu-se ao poderio ofensivo e à pressão dos jogadores comandados por Leonardo Jardim, que agora é o único técnico português em prova. Para trás ficaram Rui Vitória (Benfica), Nuno Espírito Santo (FC Porto), Jorge Jesus (Sporting) e Paulo Sousa (Basileia). Apenas José Mourinho continua numa competição europeia, na bem menos competitiva Liga Europa, com o seu Manchester United.

 

Melhor técnico português da atualidade?

Tendo em conta o percurso no Mónaco, será justo apontar Leonardo Jardim como o melhor treinador português da atualidade? A pergunta foi recentemente colocada ao talentoso Bernardo Silva, um dos dois jogadores portugueses do Mónaco, a par do sempre disciplinado João Moutinho (ver caixa).

“Não sei se é o melhor treinador português da atualidade, sei que é um grande treinador. Pessoalmente tenho que lhe agradecer muito, foi ele que me deu a oportunidade de jogar a um nível tão alto num clube como o Mónaco. Ensinou-me muito e se não é o melhor está entre os melhores”, respondeu Bernardo Silva.

Coincidência ou não, o que é certo é que no início da época Leonardo Jardim era o único treinador português na principal liga francesa, que entretanto já “convidou” dois técnicos compatriotas. Sérgio Conceição comanda o Nantes e Rui Almeida o Bastia.

Conceição indica diferenças entre si e o técnico do Mónaco: “O Leonardo Jardim acredita que é melhor ganhar por 4-3, já eu prefiro ganhar por 1-0. Estou completamente convencido disso. Se sofreres três golos e não marcares quatro, é uma merda. O único resultado que assegura pontos é não sofrer golos. Digo isto talvez porque treinei equipas pequenas”, justifica, possivelmente ignorando que Jardim começou a carreira em modestos clubes madeirenses como o Santacruzense, Portosantense, Câmara de Lobos e Camacha.

Mesmo assim, os elogios do atual treinador do Nantes também aparecem: “Gosto mesmo de ver o Mónaco jogar, é a melhor e mais completa equipa do campeonato. É uma equipa bastante realista que, ao contrário do PSG, imprime intensidade e ritmo no jogo. No Mónaco exploram o mais ínfimo detalhe. Foi o que aconteceu contra nós: estávamos a jogar bem, mas ao intervalo estávamos a perder 3-0. É terrível”, explica Sérgio Conceição.

 

Elogios de Fernando Santos

O selecionador nacional Fernando Santos também já tornou públicos elogios ao treinador do Mónaco: "Enviei os parabéns ao meu amigo Leonardo a seguir ao jogo [contra o Manchester City], foi brilhante o que fizeram", disse recentemente.

Agora a pergunta que se impõe, é saber onde poderá ir este Mónaco, tanto a nível interno como europeu. O sorteio dos quartos de final da Champions ditou eliminatória contra o Borussia Dortmund (carrasco do Benfica), nos dias 11 e 19 de abril.

Bernardo Silva já responde a perguntas sobre uma candidatura ao título europeu: “É um sonho, sabemos que não é tarefa fácil, vamos pensar no Dortmund porque ainda estamos nos quartos. Para chegar à final temos que passar por eles, é muito complicado, mas é um sonho e vamos fazer tudo para chegar à próxima fase e depois estar na final”.

Depois de ter conquistado um grupo onde também estavam o Tottenham, o Bayer Leverkusen e o CSKA Moscovo, e de ter eliminado o Manchester City, o Mónaco vê as suas principais figuras serem cobiçadas por meia Europa. Diz-se que do leque de interessados em Leonardo Jardim fazem parte a Juventus e o Arsenal.

Mas isso são rumores a confirmar apenas no verão. Até lá, não há adepto de futebol que se atreva a tapar os olhos ao Jardim de Leonardo plantado no pequeno e luxuoso Mónaco.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A relação entre Portugal e a sua Diáspora...
José Luís Carneiro
Implicações políticas da participação eleitoral nas comunidades
Paulo Pisco
Deputado do PS
Porque não te calas?
José Caria
Diretor-Adjunto PORT.com
DISCURSO DIRETO
ENTREVISTA
Berta Nunes, secretária de Estado das Comunidades
PORTUGAL
ENTREVISTA
António Saraiva, Presidente da CIP
PORTUGAL
ENTREVISTA
Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P.
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ