ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

imagem
Revista PORT.COM • 12-Ago-2017
China é o maior investidor do mundo em equipas de futebol



A China foi o país que mais investiu em equipas de futebol, entre 2014 e 2016, num montante total de 2.150 milhões de euros (ME), sete vezes mais do que o segundo maior investidor, os Estados Unidos.

Os dados, citados pela imprensa chinesa, constam num estudo da firma britânica Thinking-Linking, que comparou os investimentos de firmas de 41 países e concluiu que a China investiu mais do que todas as outras nações juntas.

Entre as maiores operações constam a aquisição de participações nos clubes italianos Inter de Milão e AC Milan, nos ingleses do Manchester City, nos checos do Slavia Praga, nos espanhóis do Atlético de Madrid ou nos franceses do Olympique Lyon.

Segundo o estudo, os investidores chineses procuram equipas de topo e tentam adquirir participações maioritárias.

O caso chinês é também inédito na medida em que o país não investia nada, até 2014, e passou de súbito a ser o maior investidor mundial.

Em 2014, as empresas chinesas investiram 555 ME. No ano seguinte, 1.600 ME e, em 2016, o montante subiu para 1.796 ME.

"É o resultado da ambição da China em converter-se numa grande potência global do futebol, para levar para casa o conhecimento", explicou o porta-voz da Thinking-Linking, Mark Dixon.

Em segundo lugar, surgem os Estados Unidos, com 313 ME investidos na modalidade, enquanto Singapura figura na terceira posição, com 256 ME.

Em quarto e quinto lugares, encontram-se o Irão e Reino Unido, com 253 ME e 182 ME, respetivamente.

Apesar do 'boom' do dinheiro chinês no futebol mundial, o país figura em 81.º no ranking da FIFA e apenas conta uma participação num mundial, na edição 2002, disputada na Coreia do Sul e Japão.

Pequim espera, no entanto, colocar a seleção chinesa entre "as melhores equipas do mundo até 2050".

No ano passado, Pequim anunciou um "plano de reforma do futebol", que prevê, entre outros pontos, a abertura de 20.000 escolas de futebol, até 2020, e que "mais de 30 milhões de estudantes do ensino primário e secundário pratiquem com frequência a modalidade".


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Emigração, Economia e Participação Política em Portugal
Daniel Bastos
Historiador
PSD recomenda ao Governo a criação de um Programa Especial de Apoio a Portugueses
José Cesário
Deputado do PSD
As relações económicas têm uma dimensão humana importante
Kirsty Hayes
Embaixadora do Reino Unido em Portugal
DISCURSO DIRETO
'O Estado abandonou o país rural'
Nádia Piazza
PORTUGAL
'Temos uma dívida de gratidão para com os nossos emigrantes'
José Maria Costa
PORTUGAL
José Redondo e a paixão pelo râguebi
José Redondo
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ