Revista PORT.COM - Notícias de Portugal e das Comunidades
ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

 História prova que Portugal 'cai' se perde na estreia do Mundial
Revista PORT.COM • 13-Jun-2018
História prova que Portugal 'cai' se perde na estreia do Mundial



A seleção portuguesa de futebol só perdeu das vezes, em seis estreias na fase final do Mundial, mas, quando isso aconteceu, em 2002 e 2014, não conseguiu o apuramento para os oitavos de final.

Em 2002, na terceira presença, a formação das 'quinas' perdeu por 3-2 com os Estados Unidos e acabou no terceiro lugar do Grupo D, atrás da coanfitriã Coreia do Sul - com a qual perdeu por 1-0 no último jogo, após um 4-0 à Polónia - e dos norte-americanos.

Na última edição, em 2014, no Brasil, Portugal foi goleado por 4-0 pela Alemanha, num jogo em que Thomas Müller logrou um 'hat-trick', e terminou em terceiro do Grupo G, atrás dos germânicos e novamente dos Estados Unidos, que 'empataram' (2-2) a seleção lusa no segundo jogo. De nada valeu o 2-1 final ao Gana.

As restantes quatro estreias da seleção lusa redundaram em três vitórias e um empate, sendo que um dos triunfos também não acabou em apuramento, curiosamente num Grupo F em que todas as outras formações lograram a qualificação.

No México, em 1986, Portugal começou da melhor forma, com um triunfo por 1-0 sobre a Inglaterra, selado com um tento de Carlos Manuel, que já tinha sido o 'herói' da qualificação, com um 'golaço' em Estugarda, face à Alemanha (1-0).

Mesmo envolvida no 'caso Saltillo', a formação das 'quinas' parecia certa nos 'oitavos', mas, depois, com uma lesão de Bento que também nada ajudou, caiu perante a Polónia (0-1) e, a terminar, frente a Marrocos (1-3), que vai agora reencontrar.

Pelo contrário, os outros dois triunfos conduziram a apuramentos, o primeiro na estreia, em 1966, por 3-1, face à Hungria, com um 'bis' de José Augusto e um tento de José Torres, no mítico Old Trafford, em Manchester, na Inglaterra.

Em 2006, na Alemanha, o triunfo foi conseguido face à estreante Angola, em Colónia. Um golo de Pauleta, servido por Figo, foi o suficiente para Portugal vencer, por 1-0. No segundo jogo, venceu o Irão por 2-0 e selou, desde logo, o apuramento.

O único empate no primeiro jogo aconteceu em 2010 e o adversário foi a Costa do Marfim, de Didier Drogba. O resultado não saiu do 0-0, mesmo resultado que Portugal alcançou a fechar o grupo, face ao Brasil, selando um lugar nos 'oitavos', depois de, pelo meio, ter goleado a Coreia do Norte por 7-0.

 

A estreia da formação lusa no Mundial de 2018 está marcada para sexta-feira (dia 15), em Sochi, face à Espanha, num embate do Grupo B marcado para as 21H00 locais (19H00 em Lisboa).

 

Cristiano Ronaldo pode igualar Pelé, Seeler e Klose

Cristiano Ronaldo, pode tornar-se, na sexta-feira, o quarto jogador a marcar em quatro Mundiais distintos, caso fature face à Espanha, na estreia da seleção portuguesa de futebol no Grupo B do Mundial2018, em Sochi.

O capitão luso, que marcou um golo em cada uma das suas três presenças, em 2006, 2010 e 2014, igualará o brasileiro Pelé (1958 a 1970) e os alemães Uwe Seeler (1958 a 1970) e Miroslav Klose (2002 a 2014), os únicos com tentos em quatro edições.

Cristiano Ronaldo está muito longe dos melhores marcadores, mas pode fazer história face aos espanhóis, se marcar num quarto mundial, 12 anos após a sua estreia na competição, com 21 anos.

Na Alemanha, em 2006, Ronaldo ficou em 'branco' na estreia, face a Angola (1-0), mas apontou um tento logo ao segundo jogo, de grande penalidade, face ao Irão (2-0), para depois, com o apuramento assegurado, falhar o embate com o México (2-1).

Uma lesão tirou-o do jogo aos 34 minutos do jogo dos 'oitavos' com a Holanda (1-0) e, nos 'quartos', face à Inglaterra, marcou o penálti decisivo na 'lotaria' (4-3), depois de 120 minutos sem golos. Não faturou face à França (0-1), nas meias-finais, e a Alemanha (1-3), no jogo do 'bronze'.

Em 2010, na África do Sul, atuou os 360 minutos de Portugal e só marcou no segundo jogo, na goleada por 7-0 à Coreia do Norte, sendo que a equipa das 'quinas' também não fez golos em mais nenhum (0-0 com Costa do Martim e Brasil e 0-1 com a Espanha).

Quatro anos volvidos, a 'estadia' da formação das 'quinas' no Mundial foi ainda mais curta, com Ronaldo a ficar em 'branco' nos dois primeiros jogos, com a Alemanha (0-4) e os Estados Unidos (2-2), e a marcar na parte final do terceiro, face ao Gana (2-1), não evitando a eliminação prematura.

 

Em 2018, na Rússia, o capitão luso, com 33 anos, terá, pelo menos três oportunidades para faturar num quarto Mundial. Depois do embate com a Espanha, Portugal mede força com Marrocos, a 20, em Moscovo, e o Irão, de Carlos Queiroz, a 25, em Saransk.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
Portugal – a participação jovem e a cidadania global
João Paulo Rebelo
Secretário de Estado da Juventude e do Desporto
Políticas de apoio ao regresso prioridade no orçamento para 2019
Paulo Pisco
Deputado do PS
Portugal - um país e um povo em rede
Carlos Zorrinho
Eurodeputado do PS
DISCURSO DIRETO
A escassos dois minutos... de nada
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
O papel do IAPMEI no apoio às PME´s
Nuno Mangas, presidente do conselho diretivo do IAPMEI
PORTUGAL
«Queremos portugueses com mais oportunidades no país»
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ