ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

 História prova que Portugal 'cai' se perde na estreia do Mundial
Revista PORT.COM • 13-Jun-2018
História prova que Portugal 'cai' se perde na estreia do Mundial



A seleção portuguesa de futebol só perdeu das vezes, em seis estreias na fase final do Mundial, mas, quando isso aconteceu, em 2002 e 2014, não conseguiu o apuramento para os oitavos de final.

Em 2002, na terceira presença, a formação das 'quinas' perdeu por 3-2 com os Estados Unidos e acabou no terceiro lugar do Grupo D, atrás da coanfitriã Coreia do Sul - com a qual perdeu por 1-0 no último jogo, após um 4-0 à Polónia - e dos norte-americanos.

Na última edição, em 2014, no Brasil, Portugal foi goleado por 4-0 pela Alemanha, num jogo em que Thomas Müller logrou um 'hat-trick', e terminou em terceiro do Grupo G, atrás dos germânicos e novamente dos Estados Unidos, que 'empataram' (2-2) a seleção lusa no segundo jogo. De nada valeu o 2-1 final ao Gana.

As restantes quatro estreias da seleção lusa redundaram em três vitórias e um empate, sendo que um dos triunfos também não acabou em apuramento, curiosamente num Grupo F em que todas as outras formações lograram a qualificação.

No México, em 1986, Portugal começou da melhor forma, com um triunfo por 1-0 sobre a Inglaterra, selado com um tento de Carlos Manuel, que já tinha sido o 'herói' da qualificação, com um 'golaço' em Estugarda, face à Alemanha (1-0).

Mesmo envolvida no 'caso Saltillo', a formação das 'quinas' parecia certa nos 'oitavos', mas, depois, com uma lesão de Bento que também nada ajudou, caiu perante a Polónia (0-1) e, a terminar, frente a Marrocos (1-3), que vai agora reencontrar.

Pelo contrário, os outros dois triunfos conduziram a apuramentos, o primeiro na estreia, em 1966, por 3-1, face à Hungria, com um 'bis' de José Augusto e um tento de José Torres, no mítico Old Trafford, em Manchester, na Inglaterra.

Em 2006, na Alemanha, o triunfo foi conseguido face à estreante Angola, em Colónia. Um golo de Pauleta, servido por Figo, foi o suficiente para Portugal vencer, por 1-0. No segundo jogo, venceu o Irão por 2-0 e selou, desde logo, o apuramento.

O único empate no primeiro jogo aconteceu em 2010 e o adversário foi a Costa do Marfim, de Didier Drogba. O resultado não saiu do 0-0, mesmo resultado que Portugal alcançou a fechar o grupo, face ao Brasil, selando um lugar nos 'oitavos', depois de, pelo meio, ter goleado a Coreia do Norte por 7-0.

 

A estreia da formação lusa no Mundial de 2018 está marcada para sexta-feira (dia 15), em Sochi, face à Espanha, num embate do Grupo B marcado para as 21H00 locais (19H00 em Lisboa).

 

Cristiano Ronaldo pode igualar Pelé, Seeler e Klose

Cristiano Ronaldo, pode tornar-se, na sexta-feira, o quarto jogador a marcar em quatro Mundiais distintos, caso fature face à Espanha, na estreia da seleção portuguesa de futebol no Grupo B do Mundial2018, em Sochi.

O capitão luso, que marcou um golo em cada uma das suas três presenças, em 2006, 2010 e 2014, igualará o brasileiro Pelé (1958 a 1970) e os alemães Uwe Seeler (1958 a 1970) e Miroslav Klose (2002 a 2014), os únicos com tentos em quatro edições.

Cristiano Ronaldo está muito longe dos melhores marcadores, mas pode fazer história face aos espanhóis, se marcar num quarto mundial, 12 anos após a sua estreia na competição, com 21 anos.

Na Alemanha, em 2006, Ronaldo ficou em 'branco' na estreia, face a Angola (1-0), mas apontou um tento logo ao segundo jogo, de grande penalidade, face ao Irão (2-0), para depois, com o apuramento assegurado, falhar o embate com o México (2-1).

Uma lesão tirou-o do jogo aos 34 minutos do jogo dos 'oitavos' com a Holanda (1-0) e, nos 'quartos', face à Inglaterra, marcou o penálti decisivo na 'lotaria' (4-3), depois de 120 minutos sem golos. Não faturou face à França (0-1), nas meias-finais, e a Alemanha (1-3), no jogo do 'bronze'.

Em 2010, na África do Sul, atuou os 360 minutos de Portugal e só marcou no segundo jogo, na goleada por 7-0 à Coreia do Norte, sendo que a equipa das 'quinas' também não fez golos em mais nenhum (0-0 com Costa do Martim e Brasil e 0-1 com a Espanha).

Quatro anos volvidos, a 'estadia' da formação das 'quinas' no Mundial foi ainda mais curta, com Ronaldo a ficar em 'branco' nos dois primeiros jogos, com a Alemanha (0-4) e os Estados Unidos (2-2), e a marcar na parte final do terceiro, face ao Gana (2-1), não evitando a eliminação prematura.

 

Em 2018, na Rússia, o capitão luso, com 33 anos, terá, pelo menos três oportunidades para faturar num quarto Mundial. Depois do embate com a Espanha, Portugal mede força com Marrocos, a 20, em Moscovo, e o Irão, de Carlos Queiroz, a 25, em Saransk.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A Santa Casa da Misericórdia de Paris
Daniel Bastos
Historiador
Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades
José Cesário
Deputado
Ser português fora é ter Portugal dentro
Isabelle Coelho-Marques
Presidente da NYPALC
DISCURSO DIRETO
Portugal Maior
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
«Português é uma língua com valor universal»
Luís Faro Ramos, presidente do Instituto Camões
PORTUGAL
«A China está pronta para nos acolher»
José Augusto Duarte, Embaixador de Portugal na China
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ