Revista PORT.COM - Notícias de Portugal e das Comunidades
ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Foto Discurso Direto
Presidente do grupo Garland
2019-04-05
De olhos postos em África com uma estratégia de futuro

Não é novo o interesse pelo continente africano, pelo potencial de desenvolvimento e necessidades de crescimento económico, técnico e infraestrutural. Num continente que durante décadas foi assolado por guerras, regimes totalitários e onde falta quase tudo, o investimento estrangeiro e a transferência de conhecimento são, mais do que estratégicos, necessários.

No final do século passado, o fim dos conflitos armados nos países africanos lusófonos trouxe inúmeras oportunidades para os empresários portugueses. Sobretudo a partir do ano 2000, quando a crise na construção civil se começou a fazer sentir em Portugal, África, predominantemente Angola e os países do Norte, tornaram-se o el dorado das empresas lusas. Até à recessão económica em Angola, provocada pela queda dos preços do petróleo, a desvalorização do kwanza, a queda das reservas e a dificuldade em obter dólares e euros, Portugal era o principal fornecedor do país. Em 2014, o país valia mais de 6% das exportações nacionais. Como é conhecido, houve um arrefecimento das relações comerciais entre os dois países de língua portuguesa e as dívidas às empresas portuguesas continuam a ser um problema por resolver, mas um novo ciclo parece desenhar-se. O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa tem-se mostrado empenhado em que tal aconteça, até porque na Europa se adivinha um desaceleramento da economia. África pode novamente tornar-se um mercado estratégico para o Velho Continente e, pelas relações estreitas com os países lusófonos, para Portugal.

O Grupo Garland que, com 243 anos, é uma das cinco empresas mais antigas em atividade em Portugal, é um dos líderes naquele que é o seu core business – transportes e logística. Os mercados africanos são naturalmente estratégicos para esta área de negócio. O empenho, determinação e know-how dos nossos colaboradores são fatores distintivos da nossa estrutura, permitindo agilizar todo o tipo de necessidades e especificidades de transporte para o continente africano. Por essa via de entendimento, temos, desde 2014, presença em Marrocos, onde a Garland Maroc assegura serviços transitários aéreos, marítimos, rodoviários e de granéis sólidos e líquidos. O investimento neste país do Norte de África afigurou-se como fundamental na estratégia de internacionalização do grupo. Marrocos é um mercado vizinho com 33 milhões de habitantes, estabilidade e com potencial de crescimento. Aliás, desde que a empresa arrancou que verificamos um desenvolvimento sustentado, com um leque de clientes, também ele, em crescendo. Nos restantes países africanos estabelecemos parcerias estratégicas que nos asseguram a máxima garantia de um serviço de excelência. Atualmente cobrimos todos os países do continente africano, desde Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia, Egipto até à Africa do Sul. Ainda recentemente criámos uma linha para o Sudão.

África é um território com um potencial enorme de desenvolvimento, apresentando necessidades quer ao nível de recursos humanos, quer a nível de infraestruturas e meios para criar essas mesmas infraestruturas. Por conseguinte, é um mercado a que estamos atentos e, este novo ciclo que parece esboçar-se, traz-nos novas perspetivas de desenvolvimento no futuro. A Garland sempre se assumiu como um parceiro logístico global perante os seus clientes e os mercados africanos são, portanto, estratégicos. As competências adquiridas ao longo de 243 anos de atividade conferem aos clientes atuais e potenciais a segurança para que possam desenvolver os seus negócios, sabendo de antemão que toda a burocracia associada ao transporte das suas mercadorias (incluindo todo o processo aduaneiro) será assegurada com o profissionalismo e know-how exigido para o efeito.

Por todas as razões que expus e por tantas outras que poderia apresentar, o continente africano é um território para o qual temos vindo a olhar com atenção e que encaramos com enorme potencial de futuro. Para a Garland e para os seus clientes que, num mundo globalizado, procuram expandir os seus negócios e precisam de soluções fiáveis para o fazer.

OPINIÃO
O acervo bibliográfico sobre a emigração portuguesa
Daniel Bastos
Historiador
Defender a União Europeia e os direitos de cidadania
Paulo Pisco
Deputado do PS
Saibamos aumentar a participação cívica das nossas comunidades
José Cesário
Deputado do PSD
DISCURSO DIRETO
Dia de Portugal e 5.º aniversário da Revista PORT.COM
Marcelo Rebelo de Sousa
PORTUGAL
Língua portuguesa, um passaporte para o presente e para o futuro
Luís Faro Ramos, pres. do Camões I.P.
PORTUGAL
Função de grande responsabilidade e relevância social
José Luís Carneiro, SEC
PORTUGAL
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ