ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Foto Discurso Direto
Historiador
2017-06-13
As remessas dos emigrantes

Na recente apresentação do boletim económico de maio pelo Banco de Portugal, a instituição que tem como missão essencial a manutenção da estabilidade dos preços e a promoção da estabilidade do sistema financeiro nacional, realçou o crescimento no ano transato da economia portuguesa, que na ótica da instituição tem revelado capacidade de ajustamento macroeconómico e uma reestruturação setorial assente numa dinâmica de internacionalização das empresas.

No conjunto dos contributos positivos, elencados pela instituição, que impulsionaram o crescimento da economia nacional, destaca-se a subida pelo quinto ano consecutivo das remessas dos emigrantes, que desde a crise de 2011 subiram 38%, isto é, enviaram para Portugal mais 913 milhões de euros.

Embora as remessas oriundas da Alemanha, Angola e Suíça tenham até diminuído, a que não é alheio no caso destes últimos dois países, respectivamente, a queda do preço do petróleo e questões cambiais, segundo o Banco de Portugal o fluxo de remessas aumentou impulsionado pelas transferências provenientes de França, EUA, Reino Unido e, em menor grau, de Espanha e Luxemburgo.

Tradicional destino da emigração portuguesa, a França continua a liderar e a contribuir decisivamente para o fluxo de remessas, que subiram 12% no último ano e atingiram os 1123 milhões de euros, equivalendo a 33% do total. No ano do Brexit, cujo impacto ainda é desconhecido no seio da comunidade portuguesa, o dinheiro enviado do Reino Unido subiu 12% face a 2015, chegando aos 285 milhões de euros, e no caso dos Estados Unidos, aumentou 16% para os 243 milhões de euros.

Desconsiderados em vários casos por responsáveis económicos e políticos do nosso país, inclusivamente pela instituição liderada por Carlos Costa, veja-se as centenas de emigrantes lesados do BES e do BANIF, o boletim económico de maio apresentado pelo Banco de Portugal mostra que os emigrantes continuam a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento de Portugal. Assumindo-se como fautores do progresso e promoção de qualidade de vida nos seus territórios de origem e destino, os emigrantes portugueses funcionam igualmente como elos fundamentais na internacionalização e valorização das empresas e produtos nacionais. 

OPINIÃO
A Santa Casa da Misericórdia de Paris
Daniel Bastos
Historiador
Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades
José Cesário
Deputado
Ser português fora é ter Portugal dentro
Isabelle Coelho-Marques
Presidente da NYPALC
DISCURSO DIRETO
Portugal Maior
José Caria, diretor-adjunto da PORT.COM
PORTUGAL
«Português é uma língua com valor universal»
Luís Faro Ramos, presidente do Instituto Camões
PORTUGAL
«A China está pronta para nos acolher»
José Augusto Duarte, Embaixador de Portugal na China
CHINA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ