Agosto 13, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Como o drama político na Itália forçou eleições

Como o drama político na Itália forçou eleições

Suspensão

A Itália nunca está longe de uma crise política. Mas as eleições marcadas para 25 de setembro serão excepcionais mesmo para os padrões italianos, já que 67 governos se revezaram desde a Segunda Guerra Mundial. Os europeus enfrentam uma crise de energia e temem que as altas taxas de juros possam provocar pânico em países altamente endividados – como a Itália. Depois, há o potencial aumento de partidos anti-imigração de direita na Itália e a saída do primeiro-ministro Mario Draghi, ex-presidente do banco central que era visto como uma mão firme, deixando os investidores ansiosos sobre o que vem a seguir.

1. O que há de incomum nesta eleição?

É a primeira vez que se realiza no outono na história do país, enquanto o Parlamento está ocupado redigindo a lei orçamentária para o ano seguinte. A campanha é comprimida por dois meses. Será a primeira vez que a Itália votará para eleger um parlamento com um número limitado de legisladores, tornando a disputa por uma cadeira mais agressiva do que nunca. Draghi renunciou depois que a ampla coalizão que liderava desde o início de 2021 se dissolveu e três de seus principais aliados retiraram seu apoio. Um tecnocrata habilidoso que navegou pelo país durante uma crise inflacionária, ele foi amplamente creditado por salvar o euro quando era chefe do Banco Central Europeu.

2. O que levou a isso?

A crise foi inicialmente desencadeada pelo Movimento Cinco Estrelas, o grupo anti-establishment que chegou ao poder em 2018 e critica o apoio militar de Roma à Ucrânia. Multiplicou-se em um conjunto vertiginoso de movimentos políticos quando a Liga Matteo Salvini e a Forza Italia liderada por Silvio Berlusconi sentiram uma oportunidade política de novas eleições, deixaram a coalizão e levaram Draghi a renunciar. Outras questões que levaram à divisão foram como alocar apoio financeiro aos italianos afetados por aumentos de preços, como promover reformas para libertar a Itália da burocracia e aumentar a concorrência e mudanças destinadas a tornar o sistema tributário mais equitativo – todos os tópicos prováveis. para liderar a campanha.

READ  Forças russas lançam uma barragem de mísseis no norte da Ucrânia da Bielorrússia | Ucrânia

Embora Draghi permaneça no cargo até que um novo governo assuma, seus poderes foram reduzidos. Seu governo ainda poderá implementar as reformas necessárias para liberar cerca de 200 bilhões de euros (US$ 204 bilhões) em ajuda da União Europeia e representar a Itália em eventos internacionais, mas sua autoridade como figura de liderança na resposta da Europa à guerra russa na Ucrânia foi travado. O governo Draghi não poderá aprovar legislação nova e não essencial e fazer novas nomeações para empresas estatais, exceto aquelas absolutamente necessárias. Nas próximas semanas, os partidos vão dominar o cenário político da Itália, planejando suas campanhas e decidindo em quem votar.

4. Quem provavelmente ganhará?

São os partidos de direita que mais ganham, razão pela qual foram tão rápidos em aproveitar a crise desencadeada pelo Cinco Estrelas. Com base nas pesquisas de opinião atuais, espera-se que uma coalizão de direita ganhe o maior número de assentos, desde que seus membros possam se unir. A aliança inclui os Irmãos da Itália liderados por Giorgia Meloni, assim como a Liga e a Forza Italia, que até recentemente estavam dentro do governo Draghi. A atual lei eleitoral italiana, ou Legi Rosato, favorece o trabalho conjunto dos partidos, e os líderes partidários trabalham para determinar quais coalizões preferem com base no veto mútuo. Embora a aliança de direita esteja claramente definida, é difícil prever como as equipes se formarão no meio, já que inúmeros grupos pequenos, mas antagônicos, se formaram. O Partido Democrata atualmente se opõe à cooperação com o Five Star, embora tenham se envolvido no governo.

5. O que isso significa para a Europa?

A fraqueza e o endividamento da terceira maior economia da zona do euro ameaçam se tornar um problema de todos. Até o início de julho, a aliança Draghi conseguiu se equilibrar para manter a economia crescendo após a pandemia e reduzir a enorme dívida da Itália, a maior da zona do euro, em cerca de uma vez e meia o PIB. O drama italiano ocorre quando o Banco Central Europeu está apertando a política monetária e aumentando as taxas de juros, aumentando os temores de uma recessão nos países que usam a moeda única. As tensões aumentaram depois que o rendimento dos títulos do governo italiano de 10 anos atingiu 4% em junho, o maior desde 2014. O aumento das taxas de juros está levantando questões sobre a sustentabilidade de longo prazo da dívida da Itália em meio a uma economia estagnada e população cada vez menor.

READ  Biden: Putin cometeu 'genocídio'

6. Afinal, por que os governos são tão instáveis ​​na Itália?

A maioria dos analistas políticos traça a era atual até 1994, após uma série de escândalos, Berlusconi subiu ao poder e com ele o atual sistema de partidos políticos. A combinação de partidos fracos ligados a um líder carismático e seu sucesso, bem como leis eleitorais que os forçam a alianças amplas, incômodas e muitas vezes conflitantes, é uma receita para a instabilidade política. Isso provavelmente acontecerá novamente nas próximas eleições.

• Abaixo está um guia para o cenário eleitoral no início da campanha.

• Draghi salvou o euro, mas a política italiana o venceu.

• Relatório da Bloomberg Economics sobre riscos da Itália.

• Por que a crise na Itália está trazendo turbulência ao Euro.

• QuickTakes Relacionados sobre a Fragmentação do Mercado de Títulos Europeu, a Crise Energética da Europa e a Crise do Euro de 2012. Explicação da Ascensão do Movimento Cinco Estrelas em 2018.

• Rachel Sanderson, da Bloomberg Opinion, explica como Draghi deixou sua marca.

• A guerra na Ucrânia expôs as divisões italianas.

• Eis por que a Itália não costuma realizar eleições no verão ou no outono.

Mais histórias como esta estão disponíveis em bloomberg. com