Dezembro 3, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Elon Musk acende em verde para ativar rede Starlink para iranianos | Notícias de protesto

Elon Musk acende em verde para ativar rede Starlink para iranianos |  Notícias de protesto

A orientação legal foi alterada pelo governo dos EUA sobre a expansão dos serviços de internet para os iranianos, apesar das sanções dos EUA ao país.

O governo dos EUA deu ao CEO da SpaceX, Elon Musk, luz verde para ativar seu serviço de internet via satélite Starlink para ajudar os iranianos que protestam contra a morte de uma mulher sob custódia policial.

O acesso às mídias sociais e a alguns conteúdos foi severamente restrito no Irã, e uma grande interrupção na Internet foi relatada em todo o país no sábado, com uma das maiores operadoras de telefonia móvel interrompendo, deixando milhões de iranianos offline.

O Tesouro dos EUA emitiu na sexta-feira diretrizes para expandir os serviços de internet disponíveis para os iranianos, apesar das sanções dos EUA ao país.

A medida segue protestos sangrentos em todo o Irã após a morte de Mahsa Amini, uma mulher de 22 anos que morreu após ser detida pela “polícia moral” que questionou sua maneira de usar o hijab.

Centenas de manifestantes furiosos foram presos quando multidões tomaram as ruas das principais cidades do Irã por oito noites consecutivas. A televisão estatal disse que o número de mortos nos “recentes distúrbios” subiu para 35, em comparação com 17 anteriormente, incluindo pelo menos cinco agentes de segurança.

Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA disse que a licença atualizada era auto-aplicável e “qualquer pessoa que atenda aos critérios descritos nesta licença geral pode prosseguir com suas atividades sem solicitar permissões adicionais”.

READ  Proprietário da Uniqlo permanece na Rússia enquanto Netflix e AMEX cortam laços

Musk não pôde ser contatado para comentários ou esclarecimentos sobre a autorização da Starlink para operar no Irã.

No entanto, na segunda-feira, ele disse que a empresa quer oferecer o serviço de banda larga via satélite Starlink – que já foi fornecido à Ucrânia em sua guerra contra a invasão da Rússia – aos iranianos e pedirá isenção das sanções.

O Irã restringiu o acesso às redes sociais Instagram e WhatsApp em meio aos protestos, segundo moradores e o monitor de internet NetBlocks.

Azadeh Akbari, da Universidade de Twente, disse que a paralisação digital no Irã é “uma continuação de décadas de filtragem da Internet pelo governo iraniano”.

Foram dados exemplos de “filtragem de teclado” e a prisão de jornalistas como meio de suprimir o acesso.

Akbari acrescentou que, com o fechamento global do ciberespaço no Irã, seria “difícil e perigoso” para o público acessar aplicativos de mensagens seguras e usar métodos para contornar o bloqueio.

Falando da Cidade do Cabo, na África do Sul, o editor de jornalismo de vídeo móvel Yusuf Omar disse que as tentativas do governo iraniano de restringir o acesso à internet são uma forma de “censura do governo” e “autocensura” da população.

“As pessoas com quem nos comunicamos por meio de histórias, mesmo que tenham acesso à internet por algumas horas e queiram enviar um vídeo. Elas estão muito assustadas”, disse Omar à Al Jazeera.

A mídia estatal iraniana informou que o presidente Ebrahim Raisi disse no sábado que o Irã deve “lidar com firmeza com aqueles que se opõem à segurança e à calma do país”.

Os comentários de Raisi vieram em um telefonema de condolências à família de um oficial de segurança que foi esfaqueado até a morte na semana passada, por manifestantes furiosos supostamente pela morte de Amini.

READ  PIB da China e outros dados econômicos importantes atrasados ​​​​em meio ao Congresso do Partido Comunista de 2022