Junho 29, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Lapid torna-se primeiro-ministro à medida que Israel se aproxima das eleições

Lapid torna-se primeiro-ministro à medida que Israel se aproxima das eleições

JERUSALÉM (Reuters) – Parlamentares israelenses votarão pela dissolução do Parlamento, abrindo caminho para a quinta eleição do país em três anos, após semanas de lobby na frágil coalizão governista do primeiro-ministro Naftali Bennett.

Bennett deixará o cargo para ser substituído pelo ministro das Relações Exteriores Yair Lapid, seu parceiro na improvável coalizão de oponentes que encerrou o governo de 12 anos do ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu há 12 meses.

Lapid, um ex-jornalista que lidera o maior partido da coalizão, servirá como primeiro-ministro interino até que novas eleições possam ser realizadas.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Uma autoridade disse que uma votação será realizada no parlamento na próxima semana, após a qual Lapid se tornará primeiro-ministro.

“Acho que o governo fez um trabalho muito bom no ano passado. É uma pena que o país esteja sendo arrastado para as eleições”, disse o ministro da Defesa, Benny Gantz, líder de um partido centrista na coalizão.

“Mas continuaremos a agir como governo interino o máximo possível”, disse ele.

A medida ocorre apenas algumas semanas antes de uma visita programada do presidente dos EUA, Joe Biden, com a qual o governo conta para ajudar a reforçar os laços de segurança regional contra o Irã, inimigo de longa data de Israel.

O futuro da coalizão de oito partidos, que inclui partidos árabes de direita, liberais e linha-dura, parecia cada vez mais ameaçado com a retirada de um punhado de membros, deixando-o sem uma maioria clara no parlamento.

Com o aumento da pressão sobre o governo nos últimos dias, Bennett, um ex-milionário das forças especiais e da tecnologia que entrou na política nacional em 2013, disse que seu governo impulsionou o crescimento econômico, reduziu o desemprego e eliminou déficits pela primeira vez em 14 anos.

READ  Estudante acusado de assassinar dois professores na escola sueca HS

Mas ele não conseguiu manter a coalizão unida e decidiu renunciar antes que o partido de direita de Netanyahu, Likud, pudesse apresentar sua própria moção para dissolver o parlamento.

Netanyahu, que prometeu retornar apesar de enfrentar julgamento por acusações de corrupção, zombou de Bennett, um ex-assessor próximo, dizendo na semana passada que seu governo estava realizando “um dos funerais mais longos da história”.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Ari Rabinovitch). Edição por Alex Richardson e Philippa Fletcher

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.