Junho 30, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Otan instou a Ucrânia a desafiar o ultimato da Rússia à cidade oriental para enviar mais armas

Otan instou a Ucrânia a desafiar o ultimato da Rússia à cidade oriental para enviar mais armas
  • Secretário de Defesa dos EUA pede que aliados da Otan forneçam mais ajuda
  • Sievierodonetsk continua sendo o epicentro dos combates no leste da Ucrânia
  • Centenas de pessoas estão presas na fábrica de produtos químicos Azot em Severodonetsk

Kyiv/NOVA YORK, Ucrânia, 15 Jun (Reuters) – A Ucrânia ignorou o ultimato da Rússia para entregar a cidade de Severodonetsk, no leste, nesta quarta-feira, enquanto os Estados Unidos instavam seus aliados em uma reunião de ministros da Defesa da Otan a intensificar o apoio militar a Kiev.

Sievierodonetsk, agora em grande parte em ruínas, foi durante semanas o principal foco da guerra. A Rússia havia dito às forças ucranianas escondidas em uma fábrica de produtos químicos para interromper a “resistência absurda e depor as armas” na manhã de quarta-feira, para aproveitar sua vantagem na batalha pelo controle do leste da Ucrânia.

A Ucrânia diz que mais de 500 civis, incluindo 40 crianças, permanecem ao lado de soldados dentro da fábrica de produtos químicos Azot, escondendo-se de semanas de bombardeios russos quase constantes.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

O prefeito de Severodonetsk, Oleksandr Stryuk, disse que as forças russas estão tentando invadir a cidade de várias direções, mas que os ucranianos continuam a defendê-la e não estão completamente isolados, apesar da destruição de todas as suas pontes fluviais.

“A situação é difícil, mas estável”, disse ele à televisão ucraniana. “As rotas de fuga são perigosas, mas existem algumas.” Ele não mencionou o ultimato russo.

Moscou disse que permitiria a retirada de civis da fábrica na quarta-feira, mas os separatistas apoiados pela Rússia disseram que o bombardeio ucraniano interrompeu o plano, que incluiria levar as pessoas de volta ao território que eles controlam.

READ  Notícias da guerra Rússia-Ucrânia: atualizações ao vivo

Serhiy Gaidai, governador da região de Luhansk que contém Severodonetsk, disse que o exército ucraniano continuou a defender a cidade e impediu que as forças russas capturassem sua cidade gêmea de Lysichansk, na margem oposta do rio Seversky Donets.

“No entanto, os russos estão próximos, a população está sofrendo e as casas estão destruídas”, escreveu ele na Internet antes das 8h, horário de Moscou (0500 GMT).

A Reuters não conseguiu verificar imediatamente as contas do campo de batalha.

Luhansk é uma das duas províncias orientais reivindicadas por Moscou em nome de representantes separatistas. Juntos, eles formam a região de Donbass, uma região industrial da Ucrânia na qual a Rússia concentrou seu ataque depois que não conseguiu capturar a capital ucraniana, Kyiv, em março.

‘momento decisivo’

Dirigindo-se a dezenas de ministros da Defesa da Otan reunidos em Bruxelas para discutir seus próximos passos, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse que a invasão estava em um “momento crucial”. Consulte Mais informação

“Não podemos ceder e não podemos perder nossa força. As apostas são muito altas”, disse ele no início das negociações.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse que a aliança está “muito focada em aumentar o apoio” à Ucrânia. Consulte Mais informação

A Casa Branca deve anunciar na quarta-feira US$ 1 bilhão em novas armas para a Ucrânia, incluindo sistemas de mísseis antinavio, foguetes de artilharia e obuses, disseram pessoas familiarizadas com os pacotes. Consulte Mais informação

O bombardeio da fábrica de amônia Azot em Severodonetsk repete o cerco anterior à siderúrgica Azovstal no porto sulista de Mariupol, onde centenas de combatentes e civis se abrigaram do bombardeio russo. Os que estavam dentro se renderam em meados de maio e foram levados sob custódia russa.

READ  Inteligência dos EUA teria ajudado a Ucrânia a matar russos

O prefeito disse que aqueles dentro de Azot vivem de água de poço e suprimentos de comida que estão sendo trazidos.

A inteligência britânica disse que os combatentes poderiam sobreviver no subsolo, e as forças russas provavelmente permaneceriam focadas neles, impedindo-os de atacar em outros lugares.

Mas o secretário de Defesa britânico, Ben Wallace, disse que as forças ucranianas na Frente Oriental estão sobrecarregadas e superadas.

Kyiv disse que entre 100 e 200 de seus soldados estão sendo mortos todos os dias, enquanto centenas de outros são feridos na batalha mais sangrenta desde a invasão russa em 24 de fevereiro.

A Rússia não fornece números regulares sobre suas perdas, mas os países ocidentais dizem que tem sido enorme, já que o presidente Vladimir Putin busca o controle total do Donbass e de uma faixa do sul da Ucrânia. Putin descreve a guerra como uma operação militar especial contra os nacionalistas ucranianos.

Na quarta-feira, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky pediu mais sanções europeias contra a Rússia. Leia mais Ele também disse que as ambições territoriais de Moscou se estendiam além da Ucrânia para uma faixa da Europa Oriental da Polônia à Bulgária, sem fornecer evidências de suas alegações.

Bruxelas, estamos esperando

O conflito elevou os preços dos grãos e as sanções ocidentais contra a Rússia elevaram os preços do petróleo. O ministro da Agricultura da Ucrânia disse à Reuters que a invasão criaria uma escassez global de trigo por pelo menos três temporadas, mantendo muitas safras ucranianas fora do mercado. Consulte Mais informação

A Rússia disse que ofereceu “passagem segura” para os carregamentos de grãos da Ucrânia dos portos do Mar Negro do país, mas disse que não era responsável por criar as rotas, com a Turquia sugerindo que os navios poderiam estar circulando pelas minas offshore. Consulte Mais informação

READ  Nova Zelândia está tentando derrotar um antigo verme de ouvido para expulsar manifestantes

Os países ocidentais prometeram à Ucrânia armas que atendem aos padrões da OTAN, mas leva tempo para serem implantadas. Zelensky disse que não havia justificativa para o atraso.

Seu conselheiro, Mikhailo Podolyak, disse que os defensores de Severodonetsk queriam saber quando as armas chegariam. “Bruxelas… estamos esperando uma decisão”, escreveu ele no Twitter.

As forças russas também estão tentando se mover para o sul em direção a Slovinsk, disse o membro do conselho local Maxim Strelnik à televisão, acrescentando que o exército ucraniano “mantém a linha e lança contra-ataques nos flancos do inimigo”.

No Donbass, o bombardeio foi ouvido perto da cidade de Nova York, onde as forças ucranianas disseram que a Rússia estava jogando tudo na batalha.

“Há três meses e meio estávamos contra o maior país do mundo”, disse um soldado ucraniano de 22 anos apelidado de “Viking”. Eles causaram enormes perdas a veículos e pessoal, mas não estão se segurando”.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem dos escritórios da Reuters. Escrito por Philippa Fletcher e Gareth Jones; Edição por Simon Cameron Moore, Frank Jack Daniel’s e Toby Chopra

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.