ÚLTIMAS
NOTÍCIAS

Desafios da comunidade luso-americana
Revista PORT.COM • 06-Jan-2019
Desafios da comunidade luso-americana



Isabelle Coelho Marques, presidente da NYPALC e conselheira da Diáspora Portuguesa, falou com a PORT.COM sobre os desafios da comunidade luso-americana.

A comunidade luso-americana é uma comunidade com uma integração muito boa nos Estados Unidos. No entanto, enfrenta alguns desafios que passam por uma melhor organização e estruturação, para que possamos parar de ser apenas vistos como pequenas organizações individuais a trabalharem sozinhas e passarmos a formalizar coligações e genuínas parcerias, a nível estadual, que possam levar a uma melhor representação da nossa comunidade e, assim, avançar com as nossas causas nos Estados onde temos elevada presença.

É importante que assim seja para que os eleitos vejam a nossa comunidade como parte interessada e parceira. Um bom exemplo disso tem sido o trabalho da New York Portuguese American Leadership Conference (NYPALC), ao reunir as organizações luso-americanas de Nova Iorque para trabalharem juntas e, assim, fortalecer a nossa presença como comunidade coesa aos olhos dos eleitos.

A necessidade de os luso-americanos investirem e apoiarem mais os lusodescendentes que querem concorrer a cargo políticos e, assim, ter a nossa comunidade visível e beneficiar de maior impacto no governo local e na tomada de decisões, é um outro desafio com qual nos deparamos.

Outro desafio que temos pela frente é preparar a geração mais jovem para a experiência de liderança por meio de uma linha de sucessão de novos talentos e novos mecanismos de atuação, bem como formação de associativismo e programas de mentorship virados para o futuro, para que possamos garantir a continuidade e o fortalecimento da nossa presença.

Agora que a língua portuguesa foi reconhecida pelo Departamento de Estado como uma língua crítica, o desafio encontra-se em estabelecer e assegurar um plano de longo prazo que mobilize tanto as estruturas existentes (embaixada, consulados, coordenação de ensino e as grandes organizações com capacidade de liderança nas comunidades) bem como formas de garantir o apoio necessário para, não só desenvolver o trabalho, como delinear esforços junto dos departamentos de educação através dos Estados onde há uma forte presença luso-americana, para que protocolos e programas possam ser desenvolvidos em liceus públicos, bem como todo o processo de garantir professores da língua portuguesa nos EUA.


Etiquetas
Partilhar

OPINIÃO
A rede mundial de luso-eleitos
Daniel Bastos
Historiador
Promover o Universo Português
Cátia Manso
Marketeer
O nosso Portugal antigo com o amigo chinês
Alberto Carvalho Neto
Presidente da AJEPC
DISCURSO DIRETO
«Tenho muito orgulho das minhas raízes portuguesas»
Lori Trahan
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«O que eu aprendi desde criança foi a valorizar o que se faz»
Andrea Fonseca
ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
«Vou ser sempre portuguesa»
Maria de Vasconcelos
ALEMANHA
REDES SOCIAIS
GALERIA DE FOTOS
QUIZ