Novembro 28, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

A morte de Daria Dugina: Os Estados Unidos acreditam que elementos dentro do governo ucraniano permitiram o assassinato perto de Moscou, dizem fontes

A morte de Daria Dugina: Os Estados Unidos acreditam que elementos dentro do governo ucraniano permitiram o assassinato perto de Moscou, dizem fontes


Washington
CNN

A comunidade de inteligência dos EUA acredita que Explosão de carro-bomba mata Daria DuginaFontes familiarizadas com a inteligência disseram à CNN que a filha de uma proeminente figura política russa, Alexander Dugin, recebeu permissão de elementos do governo ucraniano.

Os EUA não estavam cientes do plano com antecedência, de acordo com as fontes, e ainda não está claro quem exatamente os EUA acreditam que assinou o assassinato. Também não está claro se a comunidade de inteligência dos EUA acredita que isso Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky Ele estava ciente da trama ou autorizou-a.

Mas a descoberta de inteligência, Relatado pela primeira vez pelo New York Timesparece corroborar elementos das conclusões das autoridades russas de que o carro-bomba foi “pré-planejado”. Rússia Ele acusou cidadãos ucranianos de serem responsáveis ​​pelo ataque, que a Ucrânia negou veementemente após a explosão.

Em resposta a um pedido de comentário, um oficial de inteligência de defesa ucraniano disse à CNN na noite de quarta-feira após a publicação dos últimos relatórios que sua agência não tinha novas informações sobre a morte de Dugina. Pouco depois de sua morte, a mesma autoridade disse à CNN que a Ucrânia não tinha nada a ver com o assunto.

O Conselho de Segurança Nacional, a CIA e o Departamento de Estado se recusaram a comentar.

Uma das fontes disse que oficiais de inteligência dos EUA acreditam que Dugina estava dirigindo o carro de seu pai na noite em que foi morta e que seu pai era o verdadeiro alvo da operação. Dugin é um nacionalista e filósofo russo que foi um acérrimo defensor da guerra da Rússia na Ucrânia. A amiga de Dugina também disse à agência de notícias estatal russa TASS logo após a explosão que o carro que ela dirigia pertencia a seu pai.

READ  Itália confisca o iate

Poucos dias após a morte de Dugina, as autoridades russas acusaram uma mulher ucraniana de detonar um explosivo remoto colocado em um Toyota Land Cruiser Prado em Dugina e depois dirigir seu carro pela região de Pskov até a Estônia para fugir.

Oleksiy Danilov, secretário do Conselho de Segurança Nacional da Ucrânia, negou imediatamente a alegação. “Não temos nada a ver com o assassinato desta senhora – este é o trabalho dos serviços especiais russos”, disse ele. disse em agosto. O assessor de Zelensky, Mikhailo Podolak, também disse na época que a acusação russa refletia o “mundo imaginário” em que o governo russo opera.

Se a inteligência em torno da intervenção da Ucrânia for precisa, isso indicaria uma expansão ousada das operações secretas da Ucrânia para atingir uma figura política bem conhecida fora de Moscou.

Até agora, os ataques ucranianos dentro da Rússia se limitaram em grande parte a ataques a depósitos de combustível e bases militares em cidades ao longo da fronteira russo-ucraniana, como Belgorod. Mas fontes disseram à CNN que os EUA não têm uma boa visão de todos os ataques planejados na Ucrânia.

Um funcionário ucraniano disse à CNN que as descobertas da comunidade de inteligência dos EUA não foram abordadas durante uma reunião entre o conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, e o chefe de gabinete de Zelensky, Andrei Yermak, em Istambul no início desta semana. Não está claro se a questão foi levantada recentemente pelo presidente Joe Biden em um telefonema com Zelensky na terça-feira.

Um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional se recusou a comentar.

Dugina, que tinha 29 anos quando foi assassinada, era uma figura pública por direito próprio, muitas vezes aparecendo como comentarista em redes de televisão russas promovendo narrativas nacionalistas antiocidentais.

READ  Rússia diz que comentário de Biden de que Putin "não pode ficar no poder" é preocupante: atualizações ao vivo

Como a CNN fez Mencionado anteriormenteDugina também administrava um site em inglês e turco chamado United World International, que fazia parte de um esforço de publicidade mais amplo conhecido como “Projeto Lakhta”. O Departamento de Estado acusou o Projeto Lakhta de espalhar “trolls” na Internet para interferir nas eleições americanas.

Os Estados Unidos impuseram sanções a Dugin e Dogina após a invasão russa em fevereiro, acusando-os de espalhar propaganda e trabalhar para desestabilizar a Ucrânia.

Esta história foi atualizada com relatórios adicionais na quarta-feira.