Maio 21, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

A primeira-dama Jill Biden visita a Ucrânia em uma rara viagem a uma zona de guerra

A primeira-dama Jill Biden visita a Ucrânia em uma rara viagem a uma zona de guerra
Espaço reservado ao carregar ações do artigo

Uzhhorod, Ucrânia – A primeira-dama Jill Biden cruzou a fronteira com a Ucrânia neste domingo, entrando em uma zona de guerra ativa em um movimento raro para a atual esposa do presidente.

Biden entrou no país no Dia das Mães vindo da Eslováquia depois de visitar um centro de processamento na fronteira de Vysne Nemecke e conhecer refugiados. Dentro da Ucrânia, ela conheceu a primeira-dama ucraniana Olena Zelenska, que não apareceu em público desde a invasão russa em 24 de fevereiro.

“Eu queria vir no Dia das Mães”, disse Biden antes do início de uma reunião a portas fechadas entre as duas primeiras-damas. “Achei importante mostrar ao povo ucraniano que essa guerra tinha que parar, que essa guerra era brutal e que o povo dos Estados Unidos está com o povo da Ucrânia”.

Zelenska elogiou Biden por seu “ato extremamente corajoso” ao vir para a Ucrânia.

“Entendemos o que é preciso para uma primeira-dama dos Estados Unidos vir aqui durante uma guerra quando as ações militares acontecem todos os dias, as sirenes tocam todos os dias, até hoje”, disse ela em ucraniano por meio de um intérprete.

A visita não anunciada de Biden ocorreu em meio a uma viagem de quatro dias pela Europa Oriental para a primeira-dama – seu maior compromisso diplomático desde que o presidente Biden assumiu o cargo. A Ucrânia entrou um dia antes do Dia da Vitória da Rússia, que algumas autoridades temem que trará uma nova fase mais violenta da guerra.

Ex-primeiras-damas fizeram visitas ao exterior em apoio às forças americanas estacionadas no exterior, mas poucas visitaram uma zona de guerra ativa por conta própria. Em 2005, Laura Bush viajou sozinha para Cabul, onde conheceu mulheres que estavam treinando para serem professoras e deram presentes para crianças afegãs nas ruas. Bush retornou ao Afeganistão em 2008.

READ  Netflix e TikTok proíbem serviços na Rússia para evitar repressão

A viagem de Jill Biden a esta região ocorre em um momento de alto risco na política externa dos EUA, com os Estados Unidos desempenhando um papel de liderança no conflito militar e na resposta humanitária global. A invasão marca o momento de maior tensão entre os Estados Unidos e a Rússia desde o fim da Guerra Fria.

Uma autoridade dos EUA disse que Biden e Zelenska trocaram correspondência nas últimas semanas.

Em uma escola aqui em Uzhhorod, as duas mulheres entraram em uma sala de aula e se sentaram em uma mesa com crianças trabalhando nos projetos de arte de suas mães. As crianças estavam fazendo ursos de papelão e papel de seda, que é o símbolo da região de Zakarpattia.

A viagem de Biden à Ucrânia segue duas visitas de alto nível de líderes dos EUA nas últimas semanas. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi (D-CA), liderou uma delegação do Congresso a Kiev para se encontrar com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky no final do mês passado, após uma viagem do secretário de Estado Anthony Blinken e do secretário de Defesa Lloyd Austin.

O presidente Biden não viajou para a Ucrânia desde o início da guerra, com assessores comentando em particular os desafios de segurança que uma visita pode representar. Em março, ele visitou a cidade polonesa de Rzeszow, que fica a cerca de 100 quilômetros da fronteira com a Ucrânia.

Biden e outros líderes do G7 deveriam ter uma videochamada com Zelensky no final do domingo. Um funcionário da Casa Branca disse que os líderes planejam discutir a invasão da Rússia e como os países do G7 podem continuar a apoiar a Ucrânia e impor custos a Moscou.

READ  Kiev: A capital ucraniana foi atingida por "mísseis de cruzeiro ou balísticos", segundo um funcionário

Antes de cruzar a fronteira, Jill Biden visitou uma rodoviária em Kosice, na Eslováquia, onde autoridades locais e ONGs montaram um centro de processamento de refugiados. Biden ouviu histórias emocionantes de refugiados que fugiram da Ucrânia, mas expressaram um forte desejo de retornar à sua terra natal.

Victoria Kotocha, mãe de três filhos cujo marido permaneceu na Ucrânia para lutar no exército, contou a Biden sobre sua viagem à Eslováquia e sua raiva pela explicação da Rússia para sua invasão.

“Eles estão vindo para nossa terra”, disse ela a Biden. “Eles estão nos matando, mas dizem que estamos protegendo você.”

Kotocha, abraçando sua filha Yuli, de 7 anos, descreveu a dificuldade de explicar aos filhos por que eles tiveram que sair de casa. “É impossível”, disse ela. “Eu tento mantê-los seguros. É o meu trabalho.”

“Não faz sentido”, disse Biden.

Biden começou sua jornada na Romênia, onde se encontrou com tropas na Base Aérea Mikhail Kogalniceanu e visitou uma escola em Bucareste que recebe crianças ucranianas. Biden retornará a Bratislava, na Eslováquia, na noite de domingo, e na segunda-feira deve se reunir com a presidente eslovaca Susanna Caputova.