Abril 23, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Boeing orienta companhias aéreas a verificarem 787 assentos na cabine após acidente na LATAM

Boeing orienta companhias aéreas a verificarem 787 assentos na cabine após acidente na LATAM

A Boeing disse na sexta-feira que pediu às companhias aéreas que inspecionassem os assentos da cabine de seu 787 Dreamliner, depois que um avião da LATAM Airlines caiu repentinamente durante um voo para Auckland, na Nova Zelândia, na segunda-feira, ferindo passageiros.

A queda na altitude aparentemente ocorreu quando um comissário de bordo pressionou um botão no assento, fazendo com que o piloto entrasse nos controles do avião, informou o Wall Street Journal esta semana, citando autoridades não identificadas da indústria dos EUA. Os reguladores da aviação estão investigando o incidente e não anunciaram quaisquer conclusões.

A Boeing disse em comunicado que lembrou às companhias aéreas um memorando de segurança de 2017 que as instruía sobre como inspecionar e manter os interruptores nos assentos da cabine de comando.

A empresa disse: “A investigação sobre o voo LA800 está em andamento e encaminhamos quaisquer descobertas potenciais às autoridades investigadoras”. “Recomendamos que os operadores realizem uma inspeção na próxima oportunidade de manutenção”, acrescentou ela.

A terrível aterrissagem do avião da LATAM foi documentada em vídeos feitos pelos passageiros. Um dos passageiros, Brian Jockat, disse que o avião caiu repentinamente e depois se recuperou rapidamente, comparando-o a “chegar ao topo de uma montanha-russa e descer”.

A queda deixou pelo menos um passageiro em estado crítico. Outras 11 pessoas foram levadas para hospitais em Auckland depois que o avião pousou lá. Como resultado, dezenas de passageiros ficaram feridos, a maioria deles leves.

Reguladores, companhias aéreas e viajantes têm se concentrado intensamente na qualidade e segurança dos aviões da Boeing desde o incidente de 5 de janeiro, no qual um painel desligou um 737 MAX 9 da Alaska Airlines, forçando os pilotos a fazer um pouso de emergência. Em 2018 e 2019, dois aviões 737 MAX 8 caíram na Indonésia e na Etiópia, matando quase 350 pessoas.

READ  Um ataque rebelde Houthi no Iêmen levou a uma explosão perto de um navio de bandeira da Libéria no Mar Vermelho

Num memorando para a tripulação do 787, a American Airlines disse que “identificou um perigo potencial” com os controles de potência horizontais localizados na parte superior das costas dos assentos do piloto.

O memorando, revisado pelo The New York Times, disse que a equipe de operações de tecnologia da companhia aérea “garantirá que essas chaves estejam devidamente protegidas” e pediu aos capitães do 787 que “informem todos os pilotos, comissários de bordo e passageiros em cadeiras de rodas a bordo do seu voo sobre a importância de não utilizar a chave localizada na parte superior do encosto do assento do piloto quando o assento estiver ocupado.

Na foto do encosto do assento incluída na nota, o switch parece ter uma capa.

A FAA disse em comunicado na sexta-feira que convocaria um painel de especialistas para revisar as comunicações da Boeing às companhias aéreas sobre a mudança, incluindo um memorando de 2017, e fornecer feedback à empresa. Ela acrescentou que a agência continuará monitorando a situação de perto.

O 787 Dreamliner, um jato de corredor duplo, é uma das aeronaves mais importantes da Boeing. Seus três modelos podem transportar entre 248 e 336 passageiros, segundo a Boeing, e são utilizados por companhias aéreas em voos internacionais e transcontinentais.

O avião da LATAM fazia um voo de Sydney, na Austrália, para Auckland, e estava programado para seguir para Santiago, no Chile, onde a companhia aérea tem sede. A empresa disse em comunicado na sexta-feira que estava trabalhando com investigadores.

Marco Walker Contribuiu para relatórios.