Abril 13, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Charlie Star de Blackberry Smoke lembra Gary Rossington – Rolling Stone de Skynyrd

Charlie Star de Blackberry Smoke lembra Gary Rossington – Rolling Stone de Skynyrd

O cantor e guitarrista do Blackberry Smoke, Charlie Starr, estava navegando no Simple Man Cruise do Lynyrd Skynyrd em 2012, quando a filha de Gary Rossington o abordou com um pedido pessoal do guitarrista: Starr tocaria guitarra enquanto Rossington e sua esposa Dale caminhavam pelo corredor para renovar seus votos de casamento No navio de cruzeiro? “Eu disse: ‘O que ele quer que eu toque?'” “Ele disse para tocar blues”, disse ela. E entendi porque é de onde meu vizinho veio”, diz Starr, ligando de Zurique, na Suíça, onde o Blackberry Smoke está prestes a se apresentar.

No entanto, Starr tomou uma decisão espontânea e escolheu “Amazing Grace” como acompanhamento. Depois que eles caminharam pelo corredor, Gary gritou comigo: “Ok, estou tocando blues agora!” E assim eu fiz. Ele veio e me deu um grande beijo no rosto “, diz Starr. “Vou levar isso comigo para sempre.”

Rossington, o último membro original do Skynyrd, faleceu no domingo aos 71 anos. Pedimos a Starr para explicar a influência de Lynyrd Skynyrd, dissecar a abordagem de Rossington para seu instrumento e desvendar os mistérios da introdução do slide do guitarrista para “Free Bird”.

Lynyrd Skynyrd era onipresente no rádio quando éramos crianças. E então, quando você pega uma guitarra elétrica e é do Alabama, da Geórgia e da Flórida, é isso que você quer tocar. E essas músicas, como as músicas dos Beatles e dos Stones, são acessíveis. Mas também é mais complexo do que as pessoas acreditam. Eles são atemporais e perfeitos. As músicas perfeitas.

Gary era muito gostoso como guitarrista. Tenho certeza que a maioria dos guitarristas que são fãs do Lynyrd Skynyrd podem dizer a diferença entre dois guitarristas e saber quem toca o quê. Eles eram todos muito diferentes, começando com Ed King, Allen Collins e Rossington. Gary era o cara “lento” no set. Ele não tocou solos chamativos.

READ  Jimmy Fallon pede desculpas e relata abuso no The Tonight Show – Variety

comum

Quando você ouve “Free Bird”, sua execução soa como se um pássaro estivesse cantando para você. Gary entendeu que esse é o trabalho: aqui está essa música, Ronnie Van Zant tem uma letra ótima e o trabalho da minha guitarra é cantar para você também. Pense em Rooney dizendo: ‘Jogue bem pelo Atlanta’ [during “Free Bird” at the Fox Theatre in 1976]. Quão perfeito é isso? Porque ele sabia que Gary estava prestes a jogar muito bem. A música não é “Free Bird” sem essa parte.

Ouça também o single “Don’t Ask Me No Questions”. É outro verso da música. Foi o que Gary fez. Com seu violão, ele cantou outro verso quando estava solo. Era tão melódico que dava para cantar. Ele não estava por perto para mostrar quantas notas ele podia tocar. Mesmo em “Gimme Three Steps”, quando ele sobe, ele toca uma parada dupla. Aqui está outro gancho para a música. Talvez ele fosse um pouco mais parecido com Eric Clapton e Keith Richards como um só: ele tocava com um espírito lento, mas era muito orientado. Seu jogo sempre resistirá ao teste do tempo. Todos os guitarristas da banda o fariam porque eram ótimos, mas Gary liderou o ataque.