Fevereiro 7, 2023

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Chuvas de dezembro causam prejuízos de 175 milhões de euros em Portugal – EURACTIV.com

Segundo cálculos finais e provisórios de 21 municípios, as fortes chuvas causaram prejuízos de pelo menos 175 milhões de euros nos distritos de Lisboa, Portalegre e Faro.

Entre os dias 7 e 14 de dezembro, vários distritos de Portugal Continental foram afetados por inundações de habitações e vias públicas, bem como deslizamentos de terra e queda de árvores. Mau tempo. Em muitos lugares, isso levou ao fechamento temporário de muitas estradas, interrupções no transporte público e fechamento de estabelecimentos comerciais devido a danos.

Uns dias antes, as fortes chuvas no Algarve a 5 de dezembro causaram prejuízos superiores a 2 milhões de euros na cidade de Faro, provocando inundações em várias zonas. Segundo Rogério BacalhauO autarca do concelho foi duramente atingido pelas chuvas na região, comentando à Lusa na época do Natal.

Segundo Bacalhau, os danos nas infraestruturas municipais – edifício dos Paços do Concelho, escolas, biblioteca, mercado municipal, espaços públicos e piscinas municipais – foram causados ​​entre 900 mil euros e 1 milhão de euros. Compradores em São Luís, a parte mais atingida da cidade, sofreram perdas semelhantes, e danos particulares, incluindo veículos, totalizaram € 200.000.

Entre 7 e 15 de dezembro, as autoridades de proteção civil registaram mais de 7.950 incidentes em Portugal Continental – na sua maioria inundações – e 88 pessoas a necessitar de reabilitação.

Autoridades do governo visitaram algumas das áreas afetadas e pediram levantamentos de danos até 15 de janeiro para agilizar mecanismos de apoio repetidamente solicitados pelas autoridades locais, com financiamento especial para ajudar famílias e empresas.

Entre as cidades onde já são conhecidos os estudos, Lisboa registou prejuízos totais de 49 milhões de euros, o valor individual mais elevado.

READ  FliXbus lança o primeiro serviço de e-bus interurbano em Portugal

Na quinta-feira, o autarca de Lisboa, Carlos Moidas, explicou que 34 milhões de euros, ou 70% do total, seriam danos em equipamentos e infraestruturas públicas, e os restantes 15 milhões de euros na atividade económica, comércio e serviços e empresas privadas. casas.

Deste último montante, 3,8 milhões de euros correspondem a habitação e 11,2 milhões de euros a negócios.

(Rosa Carreiro | Lusa.pt)