Abril 13, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Em Pequim, Schumer apelou a Xi para apoiar Israel após ataques do Hamas

Em Pequim, Schumer apelou a Xi para apoiar Israel após ataques do Hamas

PEQUIM (Reuters) – O líder da maioria no Senado dos Estados Unidos, Chuck Schumer, pediu nesta segunda-feira ao presidente chinês, Xi Jinping, que apoie Israel após os ataques mortais realizados pelo Hamas, acrescentando que estava “desapontado” por Pequim não ter demonstrado “nenhuma simpatia” por Israel durante a crise. feriado. fim de semana. .

Combatentes do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) mataram 700 israelenses e sequestraram dezenas de outros quando atacaram cidades israelenses no sábado, na incursão mais mortal em território israelense desde os ataques do Egito e da Síria na Guerra do Yom Kippur, há 50 anos. Israel respondeu bombardeando Gaza, matando centenas de palestinos.

Em resposta, num comunicado divulgado no fim de semana, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês instou as “partes relevantes” a permanecerem calmas e a acabarem com as hostilidades para proteger os civis, acrescentando que “o caminho básico para sair do conflito reside na implementação da solução de dois Estados e no estabelecimento um estado independente.” Palestina”.

Schumer lidera uma rara delegação bipartidária do Congresso numa viagem à Ásia, que também inclui paragens na Coreia do Sul e no Japão. Visa promover os interesses económicos e de segurança nacional dos Estados Unidos.

“Os acontecimentos que ocorreram em Israel nos últimos dias são horríveis. Peço a você e ao povo chinês que apoiem o povo israelense e condenem os ataques covardes e malignos”, disse Schumer ao presidente Xi durante sua reunião em Pequim.

Ele acrescentou: “Digo isto com respeito, mas fiquei desapontado com a declaração do Ministro dos Negócios Estrangeiros, que não demonstrou qualquer simpatia ou apoio ao povo israelita durante estes tempos difíceis”.

Questionado sobre os comentários de Schumer, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Mao Ning, disse numa conferência de imprensa regular na segunda-feira que a China estava “profundamente preocupada” com a escalada. Ela acrescentou: “Estamos profundamente tristes com as vítimas civis resultantes do conflito e também nos opomos e condenamos tais ações contra civis”.

READ  Os museus do Reino Unido têm vergonha de usar a palavra 'múmia' para descrever antiguidades egípcias antigas: é 'humanismo'

Mao disse que a China pede um cessar-fogo para evitar mais mortes e instou os cidadãos chineses que viajam para a região a prestarem atenção à situação de segurança local e evitarem sair.

Oportunidades iguais

Depois de aprovar um projeto de lei abrangente no ano passado para aumentar a concorrência com a China em semicondutores e outras tecnologias, Schumer e os líderes do comitê democrata disseram em maio que iriam redigir uma legislação para limitar o fluxo de tecnologia para a China, impedi-la de iniciar um conflito com Taiwan e reforçar as regras. . Para evitar que o capital americano vá para empresas chinesas.

Schumer sublinhou na segunda-feira que o principal objetivo da visita é procurar intercâmbio económico e criar oportunidades iguais para as empresas americanas na China, e sublinhou que Washington não procura conflito com Pequim.

“A China também deve proporcionar condições de concorrência equitativas para as empresas e trabalhadores americanos”, disse Schumer a Wang durante a sua reunião em Pequim. “Muitos americanos, e a maioria dos americanos, incluindo a nossa delegação, não acreditam que temos essa justiça agora.”

Xi disse a Schumer que os dois países deveriam respeitar e cooperar um com o outro. Acrescentou que as relações entre a China e os Estados Unidos são as relações bilaterais mais importantes do mundo e está disposto a ouvir as opiniões do outro lado.

O grupo de seis senadores, liderado pelo republicano Mike Crapo, se reunirá com líderes governamentais e empresariais dos três países que visita, e com autoridades de empresas americanas que operam na região.

READ  Ucrânia nomeia 10 soldados russos por supostas violações de direitos humanos em Bucha | Ucrânia

Outros senadores presentes na viagem incluem os republicanos Bill Cassidy e John Kennedy e os democratas Maggie Hassan e Jon Ossoff. O grupo chegou a Xangai no sábado, onde manteve reuniões com a comunidade empresarial durante o fim de semana.

A viagem segue-se a visitas de uma série de funcionários de alto nível da administração Biden, incluindo a secretária de Comércio, Gina Raimondo, em agosto.

Os contactos entre autoridades dos EUA e da China aumentaram nos últimos meses, levando a alguma melhoria nas relações tensas durante anos por questões como Taiwan, as origens do coronavírus e as acusações de espionagem chinesa.

Os comentários de Schumer ecoam os feitos por Raimondo em Agosto, quando ela disse que as empresas americanas se queixaram que a China se tinha tornado “ininvestível”, citando multas, rusgas e outras medidas que tornam demasiado arriscado fazer negócios no país.

(Reportagem de Antoni Slodkowski e Liz Lee – Preparado por Mohammed para o Boletim Árabe) Escrito por Bernard Orr. Editado por Kim Coghill, Gerry Doyle e Miral Fahmy

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenção de direitos de licenciamentoabre uma nova aba