Junho 30, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Empresa de cosméticos Revlon pede proteção contra falência

Empresa de cosméticos Revlon pede proteção contra falência

16 de junho (Reuters) – Revlon Corporation (REV.N) Ela entrou com pedido de proteção contra falência do Capítulo 11 na quarta-feira, depois de lutar para competir com marcas emergentes focadas na Internet nos últimos anos.

A fabricante de esmaltes e batons, controlada pelo bilionário Ron Perlman, listou os ativos e passivos da MacAndrews & Forbes entre US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões, de acordo com um documento apresentado pelo Tribunal de Falências dos EUA para o Distrito Sul de Nova York.

O pedido de falência ocorre dias depois que o Wall Street Journal informou que a Revlon havia iniciado negociações com os credores antes do vencimento da dívida para evitar a falência.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

As vendas da Revlon têm lutado em meio a gargalos de fornecimento e uma falha em mudar rapidamente para produtos de cuidados com a pele, o que resultou em lojas dos EUA perdendo espaço nas prateleiras para startups apoiadas por celebridades como Kylie Cosmetics, de Kylie Jenner, e Fenty Beauty, de Rihanna.

Em contraste, a concorrente Coty Inc. (COTY.N) Ganhou participação de mercado investindo pesado para melhorar o abastecimento e atender à recuperação pós-pandemia da demanda por máscaras e batons.

A Revlon, que é administrada pela filha de Perelman, Debra Perelman, desde meados de 2018, tinha US$ 3,31 bilhões em dívidas de longo prazo em 31 de março.

Formada em 1932 pelos irmãos Charles, Joseph Revson e Charles Lachman, a Revlon foi vendida para MacAndrews & Forbes em 1985 e lançada ao público 11 anos depois. A empresa comprou a Elizabeth Arden em um acordo de US$ 870 milhões em 2016 para impulsionar seus negócios de cuidados com a pele.

READ  Banco central da Rússia corta juros citando menores riscos de estabilidade

Mas as vendas líquidas da Revlon em 2021 caíram 22% em relação aos níveis de 2017 em meio ao aumento da concorrência. A empresa também ganhou as manchetes há dois anos, quando o Citigroup Inc. (CN) Por engano, enviou quase US$ 900 milhões de seu próprio dinheiro para os credores da Revlon, em vez de um pequeno pagamento de juros. No entanto, um juiz federal dos EUA decidiu que ele não tinha direito a um reembolso. Consulte Mais informação

A Revlon, que começou a vender esmalte há quase 90 anos, também inclui várias marcas, incluindo as perfumistas Britney Spears e Christina Aguilera.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem adicional de Maria Bonizath e Praveen Paramasivam em Bangalore; Edição por Arun Koyor e Shunak Dasgupta

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.