Julho 18, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Erdogan declara sua vitória nas eleições turcas – Politico

Erdogan declara sua vitória nas eleições turcas – Politico

Recep Tayyip Erdogan foi nomeado por mais cinco anos como presidente da Turquia, depois de vencer uma eleição polêmica que em um ponto parecia ameaçar seu controle do poder.

O político de 69 anos, que dominou a política em seu país por duas décadas, estava a caminho de vencer o segundo turno por 52% a 48%, com mais de 98% das pesquisas apuradas, derrotando o candidato da oposição Kemal Kilicdaroglu, segundo para ele. Duas grandes agências de notícias do país.

No primeiro turno da votação, em 14 de maio, o presidente também saiu na frente, contestando as pesquisas, mas não conseguiu a maioria absoluta, o que motivou um segundo turno.

O Conselho Eleitoral Supremo da Turquia – a mais alta autoridade eleitoral do país – disse que com 75 por cento dos votos apurados, Erdogan tinha uma vantagem de 53 por cento, enquanto Kilicdaroglu tinha 47 por cento.

Erdogan declarou vitória em frente à sua residência em Istambul, cantando sua canção de campanha antes de seu discurso. Ele disse: “Agradeço à nossa nação, que nos deu a responsabilidade de governar novamente pelos próximos cinco anos.”

Ele acrescentou: “Abrimos a porta para o século da Turquia sem comprometer nossa democracia, desenvolvimento e objetivos.”

Erdogan também pediu a seus apoiadores que retomem Istambul nas próximas eleições locais em 2024. Seu partido, o Partido da Justiça e Desenvolvimento, perdeu a cidade para a oposição em 2019.

O presidente vitorioso continuou sua tática de campanha visando pessoas LGBT. A comunidade LGBT poderia se infiltrar no AKP ou em outros membros da People’s Alliance [the broader coalition backing Erdoğan]? A família é sagrada para nós.

O governo do Catar e o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban Erdogan, parabenizaram via Twitter.

READ  Biden envia todos os sinais que ele faz novamente

A vitória de Erdogan segue uma campanha na qual ele acusou seu rival de ligações com o terrorismo e disse que o país enfrentaria o caos se a aliança de seis partidos da oposição chegasse ao poder.

Ele governa a Turquia desde 2003, primeiro como primeiro-ministro e depois como presidente, e a eleição foi amplamente vista como um momento decisivo para o país.

Os partidários de Erdogan dizem que ele tornou o país mais forte, mas seus críticos argumentam que sua abordagem autoritária ao poder mina fatalmente a democracia na Turquia.

Em contraste com as eleições anteriores, nas quais o presidente e seu Partido da Justiça e Desenvolvimento, de orientação islâmica, derrotaram com folga seus rivais seculares, Erdogan entrou na disputa em maio passado nas pesquisas de opinião.

Sua campanha de reeleição teve que lidar com problemas econômicos, como inflação dolorosamente alta – atualmente em 43% – e uma moeda fraca, bem como o legado do devastador terremoto de fevereiro. Pelo menos 50.000 morreram no desastre e o governo foi criticado por padrões de construção precários e sua resposta lenta.

Mas o desempenho de Erdoğan no primeiro turno em 14 de maio o colocou cinco pontos percentuais à frente de Kilicdaroglu e algumas centenas de milhares de votos aquém da maioria absoluta.

Em seguida, o candidato da oposição mudou para uma postura mais nacionalista, prometendo deportar milhões de sírios e afegãos, mas essa medida acabou fracassando. Sinan Ogan, o candidato nacionalista que venceu com 5 por cento no primeiro turno, endossou Erdogan, não Kilicdaroglu.

Analistas políticos dizem que a vitória de Erdogan destaca a polarização na sociedade turca, particularmente as divisões entre islâmicos e secularistas. Enquanto grande parte da costa da Turquia, as principais cidades e o sudeste predominantemente curdo votaram em Kilicdaroglu, as regiões centrais favoreceram fortemente Erdogan.

READ  Líder de Hong Kong em novas medidas de propriedade, atrai talentos estrangeiros

Apoiadores da oposição também argumentam que a eleição refletiu o domínio de Erdogan no poder, incluindo sua influência quase total sobre a mídia do país, que é amplamente controlada por grupos amigos do partido governista.

Depois que a candidatura de Kilicdaroglu ganhou o apoio do principal partido pró-curdo da Turquia, Erdogan acusou seu rival de conluio com terroristas curdos, exibindo um vídeo falso nos últimos dias da campanha para defender seu caso.

Este artigo foi atualizado para incluir a reação de Erdogan.