Dezembro 5, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Força maior de GNL da Nigéria Aadhaar pode causar interrupções, diz bezerro de Portugal

LISBOA, 17 de outubro (Reuters) – A empresa portuguesa de petróleo e gás Calpe Energia disse nesta segunda-feira que pode enfrentar mais interrupções de recursos depois que a Nigéria declarou força maior devido a uma inundação generalizada de GNL.

Em um comunicado, a Gulf Energy disse que a Nigéria LNG (NLNG), seu principal fornecedor de gás natural, recebeu uma notificação sobre a força maior, mas disse que “nenhuma informação foi fornecida para apoiar uma avaliação de possíveis impactos”.

Afirmou que “pode, no entanto, causar restrições de recursos adicionais à Galp”.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

As inundações na Nigéria mataram mais de 600 pessoas, deslocaram 1,4 milhão e destruíram estradas e terras agrícolas. Autoridades alertaram que as inundações causadas por chuvas excepcionalmente fortes e a liberação de água de uma barragem em Camarões podem continuar em novembro. consulte Mais informação

Uma declaração de força maior pode piorar a crise de caixa da Nigéria e cortar o fornecimento global de gás, enquanto a Europa e outros lutam para substituir as exportações da Rússia devido à invasão da Ucrânia em fevereiro. consulte Mais informação

O ministro do Meio Ambiente e Energia de Portugal, Duarte Cordeiro, disse no mês passado que o país do sul da Europa pode enfrentar problemas de abastecimento neste inverno se a Nigéria não entregar todo o seu GNL. consulte Mais informação

No ano passado, Portugal importou 2,8 mil milhões de metros cúbicos de GNL da Nigéria, ou 49,5% do total das importações, sendo os Estados Unidos o segundo maior fornecedor com uma quota de 33,3%.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

READ  Portugal impõe restrições COVID-19 pós-Natal à medida que aumentam os casos de Omigron

Reportagem de Katerina Demoni; Edição de David Gregório

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.