Outubro 7, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Goldman Sachs e JPMorgan separam negócios na Rússia

Goldman Sachs e JPMorgan separam negócios na Rússia

O logotipo do Goldman Sachs aparece no pregão da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) na cidade de Nova York, Nova York, EUA, 17 de novembro de 2021. REUTERS/Andrew Kelly/File Photo

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

NOVA YORK/LONDRES, 10 de março (Reuters) – Goldman Sachs Group Inc (GS.N)e JPMorgan Chase & Co (JPM.N) Na quinta-feira, eles anunciaram que iriam desmantelar seus negócios russos, tornando-se os primeiros grandes bancos dos EUA a sair após a invasão da Ucrânia pela Rússia e pressionando os rivais a seguirem.

Operar na Rússia tornou-se mais difícil para as instituições financeiras ocidentais devido às sanções internacionais impostas a este país.

Embora os bancos europeus tenham a maior exposição à Rússia, os bancos americanos ainda têm uma exposição significativa, totalizando US$ 14,7 bilhões, segundo dados do BIS. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

“O Goldman Sachs está encerrando seus negócios na Rússia em conformidade com os requisitos regulatórios e de licenciamento”, disse o banco em comunicado por e-mail.

“Em conformidade com as diretrizes dos governos de todo o mundo, trabalhamos ativamente para desbloquear os negócios russos e não buscamos nenhum novo negócio na Rússia”, disse o GBM em comunicado.

As atividades atuais são limitadas, disse o JPM, e ajudam clientes globais a lidar e fechar passivos existentes, gerenciar riscos relacionados à Rússia e atuar como fiduciários para clientes e cuidar de funcionários.

O Goldman encerrará as operações em vez de encerrá-las imediatamente e quaisquer perdas serão “não-materiais”, de acordo com uma fonte familiarizada com a situação, que falou sob condição de anonimato.

READ  Ações do Twitter caem após Elon Musk fechar acordo de US$ 44 bilhões

Três fontes bem informadas disseram que, após a invasão russa da Ucrânia no mês passado, cerca de metade dos funcionários do Goldman Sachs se mudaram para Moscou ou estão se mudando para Dubai. O banco tinha cerca de 80 funcionários em Moscou.

As fontes disseram que alguns dos funcionários que foram transferidos participarão do processo de liquidação e trabalharão com seus colegas que ainda estão em Moscou.

Entende-se que o chefe da Rússia do Goldman permanecerá em Moscou, disse uma das fontes.

Em seu arquivamento anual, o banco divulgou sua exposição de crédito à Rússia de US$ 650 milhões.

As ações do Goldman Sachs caíram 2,8 por cento, para US$ 325,97 ao meio-dia. No fechamento do pregão de quarta-feira, o GS havia caído 12,8% este ano.

O maior banco dos EUA exposto é o Citigroup Inc (CN), que disse na quarta-feira que estava administrando seus negócios de consumo na Rússia de forma mais limitada, mantendo seus planos anteriores de encerrar a franquia. Consulte Mais informação

O Citigroup tem uma exposição total à Rússia de quase US$ 10 bilhões, e seu diretor financeiro alertou que em um “cenário de estresse extremo” sua perda pode ser metade disso. Consulte Mais informação

O analista David Hendler, da Viola Risk Advisors, disse que o Citigroup pode distribuir a dor de quaisquer perdas para a Rússia ao longo de vários trimestres, registrando despesas para construir reservas em alguns ativos antes que as perdas se tornem definitivas.

“Isso pode reduzir os lucros nos próximos dois trimestres”, disse Hendler.

Outros bancos dos EUA que operam na Rússia incluem JPMorgan (JPM.N)Ela se recusou a comentar quais eram seus planos.

READ  Preços do petróleo sobem devido a preocupações com a oferta

O Goldman Sachs ficou em sétimo lugar geral em receita de banco de investimento na Rússia no ano passado, com o VTB Capital da Rússia em primeiro lugar, o JPMorgan em segundo com US$ 32,8 milhões, o Morgan Stanley em quarto lugar com US$ 27,3 milhões e o Citigroup em quinto lugar com US$ 22,8 milhões. O Goldman Sachs faturou US$ 19,5 milhões no ano passado, segundo dados da Refinitiv.

Na Europa, o Raiffeisen Bank International (RBI) da Áustria está considerando deixar a Rússia, disseram à Reuters duas pessoas familiarizadas com o assunto.

Os bancos terão dificuldade em se desvencilhar do mercado, no entanto, disseram especialistas, já que o processo leva meses ou até anos. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem adicional de Nikit Nishant em Bengaluru, Matt Skovham e Megan Davis em Nova York; Reportagem adicional de David Henry em Nova York e do prefeito de Bansari, Kamdar, em Belgaluru. Escrita por Megan Davis em Nova York; Edição por Will Dunham, Anil de Silva, Mark Porter e David Gregorio

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.