Junho 18, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Israel: Manifestantes vão às ruas em um dos maiores protestos de sua história

Israel: Manifestantes vão às ruas em um dos maiores protestos de sua história

fonte de imagem, Getty Images

legenda da foto,

Acredita-se que cerca de 200 mil tenham saído às ruas de Tel Aviv.

Centenas de milhares de israelenses participaram do que alguns descreveram como o maior protesto da história do país.

Os protestos contra os planos do governo de reformar radicalmente o sistema judiciário duram 10 semanas.

Um número recorde de manifestantes se manifestaram em cidades como Haifa, enquanto cerca de 200.000 foram às ruas em Tel Aviv.

Os críticos dizem que as reformas irão minar a democracia.

Mas o governo de Benjamin Netanyahu diz que as mudanças planejadas são melhores para os eleitores.

Os organizadores disseram que até 500.000 manifestantes pró-democracia foram às ruas em todo o país no sábado, no que o jornal israelense Haaretz descreveu como “a maior manifestação da história do país”.

O líder da oposição, Yair Lapid, disse à multidão na cidade de Beersheba, no sul, que o país enfrenta “a maior crise de sua história”.

“Uma onda de terrorismo está nos atingindo, nossa economia está em colapso, o dinheiro está fugindo do país. Ontem o Irã assinou um novo acordo com a Arábia Saudita. Mas a única coisa com a qual este governo se preocupa é esmagar a democracia israelense”, disse ele.

“Esta não é uma reforma judicial. É uma revolução”, disse Tamer Gatesabri, um manifestante em Tel Aviv, à Reuters. [is] Ele fez Israel entrar em uma ditadura completa e eu quero que Israel continue sendo uma democracia para meus filhos.”

legenda da foto,

Esta questão criou divisões profundas na sociedade israelense

As reformas visam dar ao governo eleito influência decisiva sobre a seleção de juízes e limitar a capacidade do Supremo Tribunal de decidir contra o poder executivo ou anular a legislação.

A questão causou profundas divisões na sociedade israelense e, notavelmente, viu reservistas – a espinha dorsal do exército israelense – ameaçar se recusar a agir como forma de mostrar sua oposição.

Na segunda-feira, em um movimento sem precedentes, dezenas de pilotos reservas do esquadrão de elite da Força Aérea de Israel disseram que não compareceriam ao treinamento. Mais tarde, eles mudaram de rumo e concordaram em vir conversar com seus líderes.

Na quinta-feira, manifestantes bloquearam estradas e tentaram impedir Netanyahu de viajar do país. Mais tarde mudou-se para Roma.

O governo manteve-se firme diante do tumulto, alegando que os protestos são alimentados por opositores políticos.

Os críticos dizem que as reformas planejadas, que já estão tramitando no parlamento, politizarão o judiciário e poderão levar a um governo autoritário.

Netanyahu diz que as reformas visam impedir que os tribunais ultrapassem seus poderes e que o público israelense votou neles nas últimas eleições.

vídeo explicativo,

ASSISTA: Manifestantes estão tomando as ruas de Tel Aviv esta semana