Maio 26, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Larry Fink, da BlackRock, que administra US$ 10 trilhões, diz que a guerra entre a Rússia e a Ucrânia está acabando com a globalização

Larry Fink, da BlackRock, que administra US$ 10 trilhões, diz que a guerra entre a Rússia e a Ucrânia está acabando com a globalização

Larry Fink, CEO da BlackRock Inc. , em Zurique, Suíça, na quinta-feira, 7 de março de 2019.

Stephen Wermott | Bloomberg via Getty Images

Larry Fink, CEO e presidente da BlackRock, a maior gestora de ativos do mundo, disse que a invasão da Ucrânia pela Rússia derrubou a ordem global que estava em vigor desde o fim da Guerra Fria.

“A invasão russa da Ucrânia pôs fim à globalização que testemunhamos nas últimas três décadas”, disse Fink em sua carta. Carta aos Acionistas de 2022. “Isso deixou muitas comunidades e pessoas se sentindo isoladas e introspectivas. Acho que isso exacerbou a polarização e o comportamento extremista que vemos em toda a sociedade hoje”.

A carta de Fink chegou um mês depois A invasão russa da Ucrânia Com as forças russas bombardeando cidades em todo o país, civis incapazes de fugir foram mortos. Os Estados Unidos e seus aliados impuseram sanções sem precedentes à Rússia e forneceram ajuda militar à Ucrânia.

Fink, cuja empresa administra mais de US$ 10 trilhões, disse que países e governos se uniram e lançaram uma “guerra econômica” contra a Rússia. Ele disse que a BlackRock também tomou medidas para suspender as compras de quaisquer títulos russos em suas carteiras ativas ou de índices.

“Nas últimas semanas, conversei com inúmeras partes interessadas, incluindo nossos clientes e funcionários, que estão procurando entender o que pode ser feito para impedir a implantação de capital na Rússia”, disse Fink.

Fink escreveu que no início da década de 1990, quando o mundo emergiu da Guerra Fria, a Rússia foi acolhida no sistema financeiro global e recebeu acesso aos mercados de capitais globais. Ele disse que a expansão da globalização acelerou o comércio internacional, desenvolveu mercados de capitais globais e aumentou o crescimento econômico.

READ  Rali das ações perde fôlego à medida que crescem as dúvidas sobre crescimento econômico Por Reuters

Isso era verdade, disse Fink, 34 anos atrás, quando a BlackRock foi fundada e a empresa se beneficiou muito da ascensão da globalização e do crescimento dos mercados de capitais, o que alimentou a necessidade de gerenciamento de ativos orientado à tecnologia.

“Continuo a acreditar a longo prazo nos benefícios da globalização e no poder dos mercados de capitais globais”, disse Fink. ser.”

O CEO disse que a BlackRock está comprometida em monitorar os efeitos diretos e indiretos da crise e visa entender como lidar com esse novo ambiente de investimentos.

“O dinheiro que administramos pertence aos nossos clientes. Para atendê-los, estamos trabalhando para entender como as mudanças em todo o mundo afetarão os resultados de seus investimentos”, disse Fink.