Julho 20, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Manifestantes invadem a Embaixada da Suécia em Bagdá para protestar contra a queima do Alcorão | notícias sobre islamofobia

Manifestantes invadem a Embaixada da Suécia em Bagdá para protestar contra a queima do Alcorão |  notícias sobre islamofobia

Manifestantes furiosos com a queima de cópias do Alcorão na Suécia atearam fogo à embaixada sueca na capital iraquiana: relatórios.

Manifestantes furiosos com a queima de cópias do Alcorão na Suécia invadiram a embaixada sueca no centro de Bagdá, escalaram as paredes do complexo e atearam fogo.

A assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da Suécia disse em comunicado na manhã de quinta-feira que todos os funcionários da embaixada estavam seguros, condenou o ataque e destacou a necessidade de as autoridades iraquianas protegerem as missões diplomáticas.

Vídeos online mostraram manifestantes na embaixada na manhã de quinta-feira agitando bandeiras e faixas mostrando o líder religioso xiita iraquiano e político Muqtada al-Sadr.

O Ministério das Relações Exteriores do Iraque condenou veementemente o ataque à embaixada.

O Ministério das Relações Exteriores do Iraque disse: “O governo iraquiano instruiu as autoridades de segurança competentes a conduzir uma investigação urgente e tomar as medidas de segurança necessárias para descobrir as circunstâncias do incidente, identificar os perpetradores deste ato e responsabilizá-los de acordo com o lei.” ele disse em um comunicado.

Manifestantes se reúnem perto da Embaixada da Suécia em Bagdá, Iraque, em 20 de julho de 2023 [Ahmed Saad/Reuters]

O Ministério das Relações Exteriores da Suécia disse que os funcionários da embaixada estavam “seguros” depois que a embaixada foi invadida e incendiada, e que as autoridades iraquianas tinham a responsabilidade de proteger as missões e funcionários diplomáticos. Uma fonte disse à Reuters anteriormente que nenhum funcionário da embaixada ficou ferido e se recusou a dar mais detalhes.

Na madrugada de quinta-feira, as forças de segurança foram posicionadas dentro da embaixada e a fumaça subia do prédio enquanto os bombeiros apagavam as brasas, segundo testemunhas.

A maioria dos manifestantes saiu, com algumas dezenas do lado de fora da embaixada.

Apoiadores de Sadr convocaram a manifestação na quinta-feira para protestar contra a segunda queima planejada de um Alcorão na Suécia, de acordo com postagens em um grupo popular do Telegram ligado ao líder influente e outros meios de comunicação pró-Sadr.

READ  Inteligência dos EUA teria ajudado a Ucrânia a matar russos

“Hoje estamos tomando medidas para denunciar a queima do Alcorão, e isso é tudo sobre amor e fé”, disse o manifestante Hassan Ahmed à AFP na embaixada.

“Pedimos ao governo sueco e ao governo iraquiano que parem com esse tipo de iniciativa”, disse ele.

A agência de notícias sueca TT informou na quarta-feira que a polícia sueca aprovou um pedido para uma reunião pública fora da embaixada iraquiana em Estocolmo na quinta-feira.

O pedido afirmava que o requerente pretendia queimar uma cópia do Alcorão e da bandeira iraquiana, relata o TT.

A mídia sueca informou que Sloane Momica, um refugiado iraquiano na Suécia, organizou o incêndio na quinta-feira.

Silwan também queimou páginas de uma cópia do Alcorão em frente à maior mesquita de Estocolmo em 28 de junho durante o Eid al-Adha, um feriado celebrado por muçulmanos em todo o mundo.

Este incidente anterior levou os partidários de Muqtada a invadir a embaixada sueca em Bagdá no dia seguinte.

Os governos de vários países islâmicos, incluindo Iraque, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Jordânia e Marrocos, protestaram contra o incidente, com o Iraque exigindo a extradição do homem para julgamento no país.

A polícia sueca concedeu a Momica uma licença de acordo com a proteção da liberdade de expressão no país, mas as autoridades disseram mais tarde que abriram uma investigação por “incitação contra um grupo étnico”, afirmando que Momica havia queimado páginas da Bíblia islâmica muito perto da mesquita. .