Maio 26, 2022

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Mídia portuguesa Impressa foi atingida por hackers

Esta parábola, tirada em 13 de maio de 2017, mostra um homem segurando um laptop enquanto o código cibernético é mostrado. REUTERS / Kacper Pempel

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

LISBOA, 3 Jan (Reuters) – Os sites de um dos maiores jornais de Portugal e os sites de uma grande emissora de propriedade da maior empresa de mídia do país, a Impressa, foram fechados nesta segunda-feira por um hacker no fim de semana.

Tanto o jornal Expresso como a estação de televisão SIC noticiaram que a Polícia de Investigação Criminal tinha reportado à PJ e ao Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) e iria apresentar queixa.

Os hackers acusados, que se autodenominam grupo Lapsus$, postaram uma mensagem em sites de que os dados internos vazariam se o grupo de mídia não pagasse o resgate. A mensagem continha informações de contato de e-mail e telegrama.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

O painel não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Lapsus $ enviou um e-mail de phishing para assinantes do Expresso alegando ter acesso à conta Amazon Web Services da Impressa e twittou da conta verificada do jornal no Twitter.

O mesmo grupo invadiu o site do Ministério da Saúde do Brasil no mês passado e desativou várias organizações, incluindo informações sobre o Programa Nacional de Imunizações e a emissão de certificados digitais de vacinação. consulte Mais informação

O coordenador do CNCS, Lino Santos, disse ao jornal Observador que esta foi a primeira vez que o grupo atacou o país.

Os sites do Expresso e da SIC estão offline desde domingo, com páginas a mostrar a mensagem de que estavam “temporariamente indisponíveis” na sequência do ataque e vão regressar “assim que possível”.

READ  Sondagens mostram apoio ao partido do primeiro-ministro português nas eleições imediatas

Enquanto isso, ambas as empresas de mídia publicam notícias em seus canais de mídia social. “Um ataque sem precedentes à liberdade de imprensa na era digital”, descreveram.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Relatório de Katrina Demoni; Edição por Indy Landoro e Louis Heavens

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.