Maio 18, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Milhares protestam em Portugal contra aumento do custo de vida

Milhares protestam em Portugal contra aumento do custo de vida

Por Catarina Demony e Pedro Nunes

LISBOA (Reuters) – Milhares foram às ruas de Lisboa neste sábado para exigir melhores condições de vida em um momento em que a alta inflação torna ainda mais difícil para as pessoas sobreviverem.

Portugal é um dos países mais pobres da Europa Ocidental, com mais de 50% dos trabalhadores ganhando menos de 1.000 euros (US$ 1.054,60) por mês no ano passado, segundo dados do governo. O salário mínimo mensal é de 760 euros.

Os preços das casas em Portugal deverão subir 18,7% em 2022, o maior aumento em três décadas, e as rendas também aumentaram significativamente devido à bolha imobiliária especulativa.

Salários baixos e aluguéis altos fazem de Lisboa a terceira cidade menos viável do mundo, segundo estudo da corretora de seguros CIA Landlords. A agravar o problema está a taxa de inflação de 8,3% em Portugal.

Numa manifestação organizada pelo movimento ‘Fair Life’, Vitor David, um programador de 26 anos, disse querer um dia visitar Lisboa. Alugue na cidade.

“Chega em um ponto de nossas vidas em que não temos esperança”, disse ele, acrescentando que já havia considerado se mudar para um país europeu rico. “É muito difícil.”

Dados oficiais mostram que 20% dos portugueses vivem no estrangeiro.

“Estamos aqui para que nossas vozes sejam ouvidas”, disse Jose Reyes, que se formou recentemente na universidade, mas ainda está desempregado.

O movimento ‘Fair Life’, formado por pessoas que vivem nos subúrbios mais pobres de Lisboa, diz que as pessoas que já eram vulneráveis ​​antes do aumento da inflação são as mais atingidas pela atual crise do custo de vida.

READ  Sondagens mostram apoio ao partido do primeiro-ministro português nas eleições imediatas

Eles precisam de salários mais altos, um teto para os preços das commodities essenciais e ação do governo sobre habitação.

Portugal anunciou na semana passada um grande pacote para enfrentar a crise imobiliária, mas grupos de direitos humanos disseram que os planos falhariam se as autoridades continuassem a promover outras políticas para atrair estrangeiros ricos para o país, como um visto de nômade digital introduzido em outubro.

($ 1 = 0,9482 euros)

(Reportagem de Caterina Demoni, Miguel Pereira e Pedro Nunes; Edição de Jonathan Otis)