Fevereiro 4, 2023

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Moscou culpa Kyiv por bombardeios em duas bases militares na Rússia: atualizações ao vivo

Moscou culpa Kyiv por bombardeios em duas bases militares na Rússia: atualizações ao vivo
atribuída a ele…Michael Probst / Associated Press

A Europa e os Estados Unidos começaram na segunda-feira a implementar duas das medidas mais duras destinadas a reduzir a receita da Rússia com o petróleo, a principal fonte de dinheiro usada para financiar a guerra de quase dez meses na Ucrânia.

o primeiro, iniciativa de limite de preço Liderado pelos Estados Unidos, visa aumentar a pressão econômica sobre o Kremlin enquanto Evite um choque global do petróleo. O limite foi fixado em $ 60 por barril e foi aprovado pelo G7, Austrália e membros da União Europeia.

A segunda é uma proibição sob a qual os países europeus não poderão comprar a maior parte do petróleo russo a partir de segunda-feira. Foi uma iniciativa da União Europeia Ele concordou meses atrás No entanto, isso foi implementado em etapas, com exceções para preparar os Estados-Membros.

Os preços oscilaram nos mercados petrolíferos na segunda-feira, com o Brent, referência internacional, a subir cerca de 2,5 por cento, para 87,75 dólares o barril, ao meio-dia na Europa. Os futuros do West Texas Intermediate foram vendidos a US$ 82 o barril.

Não se esperava nenhum impacto imediato no fornecimento de petróleo na Europa, em parte porque o embargo já dura meses e as empresas de energia já começaram a comprar mais petróleo dos Estados Unidos, Brasil, Guiana e Oriente Médio.

Embora analistas e traders digam que o limite de preço pode ser um pesadelo para administrar, um especialista em sanções disse que as negociações prolongadas resultaram em um acordo que pode funcionar.

“Suspeito que o compromisso alcançado dê à política a melhor chance de funcionar”, disse Edward Fishman, membro sênior do Centro de Política Energética Global da Universidade de Columbia.

READ  COP27 faz pouco para evitar futuras catástrofes da mudança climática

O Sr. Fishman, que anteriormente liderou o planejamento e implementação de sanções contra a Rússia no Departamento de Estado, disse que há várias razões para otimismo. Uma delas é a recente fraqueza nos mercados de petróleo, que ele interpretou como significando que o petróleo russo não é mais tão importante para os mercados como era há alguns meses. Ele também disse que o preço acordado de US$ 60 é um nível “Goldilocks”, não tão alto a ponto de dar à Rússia mais receita do que está recebendo atualmente ou tão baixo a ponto de desencorajar Moscou de produzir petróleo.

Ele também disse que a cláusula de limite para revisar o nível de preços a cada dois meses, ou com mais frequência, se necessário, forneceu a “flexibilidade” que historicamente ajudou a tornar eficazes as sanções, como as que visam as vendas de petróleo iraniano.

No entanto, o ceticismo sobre a potencial eficácia das medidas decorre em parte dos Estados Unidos e dos países europeus que forçam os carregadores e as seguradoras europeias a aplicá-las, recusando-se a lidar com remessas com preços acima de US$ 60 o barril.

Para começar, dizem os analistas, os dados sobre os preços do petróleo russo tornaram-se escassos nos últimos meses. Poucos negócios são relatados, e os preços oferecidos no mercado são “principalmente baseados em boatos”, disse Victor Katona, analista da Kpler, uma empresa de pesquisa que rastreia o frete.

A Rússia disse que não aceitará um teto de preço e ameaçou cortar o fornecimento aos países que cumprirem o acordo. Se a Rússia seguir essas medidas e restringir o petróleo devido ao fluxo de gás natural para a Europa, poderá causar estragos nos mercados de petróleo.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry S. Peskov disse na segunda-feira que essas medidas sem dúvida terão um impacto na estabilidade do mercado global de energia, de acordo com a agência de notícias estatal russa Tass, referindo-se à proibição e ao preço máximo. .

READ  Após a retirada de Snake Island, um ataque de míssil russo mata 21 perto de Odessa, na Ucrânia

Analistas dizem que a Rússia está construindo a chamada frota de petroleiros envelhecidos para exportar seu petróleo e evitar sanções da UE, mas duvidam que ela possa montar uma frota grande o suficiente. Se não puder, a Rússia pode precisar começar a fechar os poços.

Os países do G7 – Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha, Alemanha, França, Itália e Japão – basicamente pararam de comprar petróleo russo, então qualquer problema com uma queda nas exportações russas ameaça prejudicar as economias de países como China e Índia, seus principais clientes. que se recusou a condenar a invasão russa da Ucrânia.

O embargo iminente e o teto de preço foram duas das principais razões pelas quais a Opep e seus aliados, incluindo a Rússia, deixaram no domingo suas cotas de produção de petróleo inalteradas. O grupo, conhecido como OPEP Plus, parece ter decidido que não há razão para mudar sua política em meio a muitas incertezas econômicas, incluindo uma economia vacilante na China e uma inflação global que está alimentando temores de uma recessão.

Muitos analistas acreditam que a Arábia Saudita, líder de fato do grupo de produtores, está buscando um preço em torno de US$ 90 por barril de petróleo Brent. É provável que os sauditas, segundo observadores do mercado, cortem a produção, independentemente dos protestos da Ucrânia e de seus aliados, caso os preços caiam significativamente abaixo desse patamar.