Junho 13, 2024

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

O chefe de Wagner diz que está transformando combatentes russos condenados com destino à Ucrânia em ‘canibais’

O chefe de Wagner diz que está transformando combatentes russos condenados com destino à Ucrânia em ‘canibais’

Chefe Wagner Yevgeny Prigozhin Ele defendeu os esforços para treinar seus mais novos recrutas que estão fora do sistema penal russo e programados para serem enviados para as linhas de frente da Ucrânia e disse que eles “tornariam verdadeiros canibais”.

A especialista em Rússia e ex-oficial de inteligência do DIA em Doutrina e Estratégia Russa, Rebekah Koffler, explicou que o termo não é uma interpretação literal.

A expressão pretende fingir que Prigozhin está virando o rosto Condenados em máquinas de combate Eles estão se preparando para a frente de guerra na Ucrânia.

Um homem deposita flores em um caixão durante o funeral de Dmitry Menshikov, um mercenário da empresa militar privada da Rússia Wagner Group, que foi morto durante o conflito militar na Ucrânia, no Beco dos Heróis em um cemitério em São Petersburgo, Rússia, 24 de dezembro de 2022.
(Reuters/Igor Rusak)

O RUSSIAN WAGNER GROUP está ganhando fama mundial da África à Ucrânia, mas a divisão é a casa

Em um vídeo divulgado pelo Daily Mail na terça-feira, Prigozhin falou enquanto as forças de Wagner treinavam atrás dele e disse: “Esta é uma base de treinamento suplementar para nossos combatentes”.

“O treinamento básico é em Molkino, e aqui lutadores experientes recebem treinamento adicional em suas especialidades”, disse ele, referindo-se à localização da principal base Wagner da Rússia. “Aqui eles fazem verdadeiros canibais.”

Wagner começou a oferecer aos condenados russos uma oportunidade de lutar na Ucrânia em troca de garantir sua libertação da prisão – não importa a acusação.

O presidente Wagner na Rússia liberta o primeiro grupo de condenados que trocou as penas de prisão pela guerra na Ucrânia

Contanto que o condenado sobreviva na linha de frente por seis meses, ele pode voltar para casa sem cumprir sua pena de prisão.

Embora as forças de Wagner recebam munição e equipamentos do Ministério da Defesa da Rússia, elas não trabalham com isso ou atuam como parte das forças militares russas.

Prigozhin, um aliado de Putin, concentrou suas forças nas batalhas mais ferozes em regiões da Ucrânia como Donetsk e afirmou que as recentes vitórias da Rússia foram devidas a suas forças, não ao exército russo.

Pessoas uniformizadas, supostamente soldados do grupo mercenário russo Wagner e seu chefe Yevgeny Prigozhin, posam para uma foto que se acredita estar em uma mina de sal em Soledar, região de Donetsk, Ucrânia, nesta foto postada em 10 de janeiro de 2023.

Pessoas uniformizadas, supostamente soldados do grupo mercenário russo Wagner e seu chefe Yevgeny Prigozhin, posam para uma foto que se acredita estar em uma mina de sal em Soledar, região de Donetsk, Ucrânia, nesta foto postada em 10 de janeiro de 2023.

Clique aqui para acessar o aplicativo FOX NEWS

Embora o exército russo procurasse distanciar-se de Grupo de mercenários brutais Ele afirmou no início deste mês que as unidades militares russas e as forças de Wagner trabalharam em um esforço “descoordenado” para proteger a disputada cidade de Solidar.

Os EUA estimam que existam cerca de 50.000 soldados contratados na Ucrânia, acredita-se que cerca de 10.000 sejam contratados profissionais, enquanto 40.000 foram recrutados para preencher os fracos números no terreno.