Dezembro 5, 2021

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Os empregadores portugueses pararam de contactar os empregados fora do horário de trabalho. Aqui está o porquê | Ana catarina mendes

D.A sua semana atraiu o parlamento português Manchetes em todo o mundo, E até mesmo algum foco de Show Diário, Depois de proibirmos os empregadores de contatá-los Funcionários fora do horário de trabalho. Sob as novas leis, os empregadores podem enfrentar sanções se enviarem mensagens de texto, telefone ou e-mail para seus funcionários enquanto eles não estão trabalhando.

Para nós, este é um passo essencial para fortalecer os limites necessários para um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Deve haver um limite entre a duração do poder do empregador e a duração da autonomia do trabalhador. Deve haver um limite entre o momento em que um trabalhador pode ser uma fonte ao serviço da pessoa que paga seu salário e o momento em que ele deve ser o proprietário de uma vida não profissional. Introduzimos essas novas leis trabalhistas para evitar confundir a linha entre servir aos outros e passar tempo com a família. A fronteira entre o tempo como uma mercadoria de valor financeiro e o tempo precioso que resta para aproveitar a vida.

Durante a Revolução Industrial, os trabalhadores podiam ser um pouco maiores do que os trabalhadores. A demanda por jornadas de trabalho mais curtas foi central para o movimento trabalhista desde o início. É um pedido para encontrar uma forma de se livrar do cansaço extremo causado pelas longas horas de trabalho e dos problemas de saúde causados ​​pelo excesso de trabalho. Só isso já seria motivo mais do que suficiente. Mas a demanda por jornadas de trabalho mais curtas é para estabelecer que os trabalhadores não devem ser apenas a força de trabalho, mas também as pessoas. Na prática, E não só Juiz.

A preocupação é que o surgimento de empregos distantes ameaça nos levar de volta a um período em que a jornada de trabalho era estendida indefinidamente, antes que os sindicatos recebessem proteção para seus associados. O trabalho à distância deve ser um passo à frente, não um passo atrás. Quando a maioria de nós trabalha em longas distâncias, é imperativo estabelecer limites claros entre as horas de trabalho e o tempo pessoal.

READ  Uma garrafa de notícias viaja da Flórida para Portugal a cada seis anos

A transformação digital em andamento criou a necessidade de legalizar o trabalho remoto. A infecção acelerou isso. Criamos essa nova lei muito antes do início da epidemia, mas agora ela se tornou mais necessária: para responder aos efeitos perversos e indesejáveis ​​da rápida expansão do teletrabalho. Requer todos os tipos de software digital A vigilância do trabalhador também cresceu rapidamente. Trabalhar remotamente tem grandes benefícios, mas como acontece com todos os novos eventos que ocorrem muito rapidamente, existem novos riscos. Afinal, os riscos para a parte mais frágil da relação de trabalho são: os trabalhadores.

A desigualdade inerente entre as partes reguladoras do mercado de trabalho não pode ser ignorada: empregadores e empregados. Uma relação de trabalho não é algo entre iguais que é livremente regido por um contrato pessoal. Ao promulgar essas novas leis trabalhistas, tivemos em mente as palavras de Henry Dominique LaGuardia, um professor e escritor francês do século 19: Intervir.

Numa relação desigual entre empregador e trabalhador, não basta estabelecer que este tem o “direito de se desligar”; Desligue o celular, o laptop ou ignore as ligações para a família no meio do jantar. Qualquer abuso que entre em conflito com esse direito deve ser evitado por meio de sanções. Por causa disso, os empregadores nos proibiram de entrar em contato com os trabalhadores fora do horário de trabalho e impuseram penalidades potenciais pela violação das regras. Na prática, o direito de se desconectar deve ser fortalecido com essa restrição.

Sempre podemos enfraquecer as novas leis trabalhistas por causa do desemprego e da dificuldade em aplicá-las quando os salários são baixos – mas não devemos. Se o mercado de trabalho dificulta a aplicação das novas leis, deve insistir na reforma do mercado de trabalho e não abandonar a sua regulamentação.

READ  Penalidades para passageiros não testados em Lisboa

A lei que acabamos de aprovar respeita a tradição do Partido Socialista Português em todas as lutas anteriores pelos direitos dos trabalhadores. Esta não é realmente uma lei radical, mas ajuda a dar mais um passo em direção ao crescimento Portugal Como uma comunidade muito educada e igualitária.