Janeiro 27, 2023

Revista PORT.COM

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Revistaport

Perseguindo as maiores ondas do mundo na Nazaré, Portugal

A vila piscatória portuguesa da Nazaré fica a 120 quilómetros a norte de Lisboa.Michael Doucet / Manual

Era início de dezembro. Estou na Nazaré, uma vila piscatória portuguesa a cerca de 120 quilómetros a norte de Lisboa. É muito diferente da minha caixa de concreto em Toronto, onde a cultura do ano é reclamar dos dias sombrios e do frio. Aqui, o céu está claro, o sol está alto, a água está calma – insira todos os outros clichês costeiros que você possa imaginar aqui. E eu estou com raiva.

OK, talvez Livid seja um pouco dramático, mas a decepção se encaixa no projeto. Veja, Nazaré é o lar dos maiores maremotos do mundo – eles são a razão de eu estar aqui. A melhor altura para ver estas ondulações, formadas pelo maior desfiladeiro subaquático da Europa e com alturas superiores a 30 metros, é nos dias de tempestade entre Outubro e Março. Mas parece que alguém se esqueceu de contar à Mãe Natureza sobre minhas reservas.

Não estou aqui para navegar sozinho: Estou aqui para ver ondas altas e quem se atreve a surfá-las. O surf de ondas grandes aqui é proibido para amadores; Mesmo os profissionais não achavam que era possível. Isso mudou quando a comunidade de surf local patrocinou a compra de jet skis (as ondas eram grandes demais para remar), e então o americano Garrett McNamara veio para Nazaré há 11 anos e quebrou o recorde mundial ao surfar uma onda de 23 metros.

Uma grande onda na Nazaré.Manual

Desde então, o recorde foi quebrado várias vezes (cinco das seis maiores ondas já surfadas aqui aconteceram), mas a Nazaré experimentou um aumento no turismo de inverno — basicamente como nunca antes — porque pessoas como eu adoram. Veja tudo em ação.

READ  Itália pode enfrentar Portugal nas eliminatórias da Copa do Mundo

Mas isso não é uma opção, e passo meu tempo explorando: caminhando pelas praias arenosas de Nazaré e das praias do norte (é fácil ver por que esta cidade litorânea é um destino popular de verão), entrando nas lojas que margeiam o calçadão e vagando volta de vez em quando para Brea, a comunidade à beira-mar, e Sitio, o penhasco. Rua do cemitério e beco que compõem ambos. (Existe um prático funicular que liga os dois bairros.) Também visito o mercado diário e o Mirador do Superco e o Forte de São Miguel. Este último abriga um pequeno museu do surf e ambos têm vista panorâmica da areia, mar e – presumivelmente – grandes ondas.

Um funicular liga a zona costeira de Brea ao Sítio.Michael Doucet / Manual

Mas três dias depois, ainda nada. Por que me importo tanto em vê-los? Não tenho 100% de certeza. Talvez seja uma combinação do amor do meu parceiro da costa leste pelo Atlântico e meu desejo de ver algo além dos azulejos de enorme sucesso de Portugal, arquitetura centenária e bares de vinho. Mas a minha preocupação também diz respeito aos horários e à boa gestão financeira. e de Temos mais hotéis e Airbnbs reservados e vamos embora.

À medida que os dias avançam, passamos pelo resto do coração de Portugal, entre Lisboa e Porto, as maiores e mais visitadas cidades do país. Primeiro: Benich. Esta cidade portuária ativa, 100 quilômetros a noroeste de Lisboa, é conhecida por seus frutos do mar, além de ótimas ondas e caminhadas costeiras. O Ilhéu da Papoa e o Cabo Carvoeiro são pontos de encontro populares, e a partir deste último pode encontrar o arquipélago protegido da Reserva Natural das Berlengas.

READ  Portugal e Cristiano Ronaldo dominam a Times Square

Viajamos mais para o interior até Coimbatore, 110 quilômetros a nordeste de Nazaré. Seguimos direto para a Universidade de Coimbra, Património Mundial da UNESCO; Fundada em 1290, é uma das instituições educacionais mais antigas do mundo. Na charmosa Biblioteca Joanina, uma biblioteca do século 18, os alunos andam pelo campus usando chapéus pretos tipo Harry Potter.

De lá, 65 quilômetros a noroeste, chegamos a Aveiro, uma lagoa em um dos últimos pântanos costeiros intocados da Europa. A fama da cidade inclui sua arquitetura Art Nouveau e Pargos Moliseiros – Barcos coloridos no canal tradicionalmente usados ​​para colher algas marinhas. Além disso, graças às salinas da região, a flor de sal de qualidade está disponível. Compramos alguns para levar na bagagem de mão.

Mas mesmo enquanto exploro o coração de Portugal, Porto e Vale do Douro, não consigo parar de pensar nas ondas. Então, depois de algum rastreamento de previsão diligente, voltamos. Embora as condições não fossem perfeitas para quebrar recordes e ondas, elas ainda eram as maiores que eu já vi. Tudo bem também. Porque acho que é isso que Nasser faz: dá a você a emoção da perseguição e você quer voltar.


Onde ficar e comer

nazareno

Ouro: Feriados são Nasare

Três razões para amar esta empresa de aluguel de apartamentos: é familiar, tem preços acessíveis (preços a partir de € 45 por noite) e muitas unidades têm vista para o mar.

comer: Maria Tho mar

Esta é a clássica comida portuguesa: peixe, peixe e mais peixe. Pedido Pagalhão (bacalhau) e sardinha assada servida com batatas e azeitonas.

Beniche

Ouro: Mercearia d’Alegria B&B

Você não pode perder o exterior deste bed and breakfast: é pintado de rosa brilhante. No interior, você encontrará nove quartos confortáveis. Lugar favorito? Pátio ao ar livre ensolarado.

READ  Movimento Contra a Urbanização em Cascais

comer: Profresco Fish Market & Restaurant

Não tenho certeza se fica mais fresco do que isso. O restaurante tem vista para o Oceano Atlântico e está ligado ao seu próprio mercado de peixe ao lado. Comemos arroz de lagosta e camarão.

Coimbra

Ouro: Hotel Quinta das Lágrimas

Instalado num palácio do século XVIII, este hotel dispõe de spa, excelente restaurante e excelente serviço. Mas a melhor parte? Está rodeado por 12 hectares de jardins exuberantes.

comer: definir

Como muitos restaurantes portugueses, frutos do mar são a estrela aqui, mas eles também oferecem pratos de carne como pernil de cordeiro e rissóis de porco.

Airo

Ouro: Palácio da Estrela de 1877

Com vista para os canais que cortam a cidade, os nove quartos e suítes têm design único. Pergunte àquele com a banheira no quarto.

comer: Cais do Pescado

Aqui encontra mais marisco (experimente os camarões ao alho!), uma impressionante carta de sobremesas e tantas garrafas de vinho que literalmente cobrem as paredes do restaurante.

Parte da viagem foi apoiada por uma bolsa do Turismo de Portugal. Eles não revisaram ou endossaram esta história.

Mantenha-se atualizado com o boletim informativo semanal Sightseer. Inscrever-se Hoje.